Urgência de Obstetrícia de Braga pode voltar a fechar este fim-de-semana

Urgência de Obstetrícia de Braga pode voltar a fechar este fim-de-semana
| Norte
Porto Canal

A urgência de obstetrícia do Hospital de Braga, que esteve fechada durante o fim-de-semana, pode voltar a encerrar na próxima sexta-feira e no domingo.

A Ordem dos Enfermeiros diz que faltam quase 50 profissionais em três serviços do Centro Hospitalar.

Depois da rotura do serviço de obstetrícia e ginecologia, soma-se agora a falta de quase 50 enfermeiros em três serviços do Hospital de Braga.

A Ordem diz que a assistência aos doentes está comprometida e, nesta unidade hospitalar, já há enfermeiros a pedir escusa de responsabilidade.

Após reunir com a Administração da unidade hospitalar nesta terça-feira, a Ordem garante que em dois anos nada foi feito para resolver o problema.

O hospital tem pedido enfermeiros à tutela, mas esta não tem autorizado contratações.

A Ordem dos Enfermeiros pede um reforço urgente destas equipas, caso contrário a solução vai passar por reduzir camas e comprometer a capacidade de cuidados prestados aos doentes destes serviços.

+ notícias: Norte

Viaturas de adeptos croatas vandalizadas na Trofa. Veja as imagens

Pelo menos sete viaturas com matrícula da Croácia e outras nacionalidades, como Bósnia, foram vandalizadas esta tarde, junto da Estação Ferroviária da Trofa. As viaturas pertencem a adeptos do Hajduk Split, clube que esta tarde defrontou o Vitória, em Guimarães.

Entre os danos, contam-se vários vidros partidos e pneus furados.

Jornalistas agredidos por adeptos do Hajduk Split em Guimarães

Jornalistas e repórteres de imagem foram agredidos esta noite, cerca das 20:05, durante a saída dos adeptos do Hajduk Split do Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Através das imagens da Sporttv, que se encontrava em direto, é possível ver alguns jornalistas e repórteres de imagem a serem alvo de pontapés e outras agressões por parte da claque croata.

Utentes da CERCI Braga em risco de ficarem sem apoio 

A CERCI de Braga pode ter de fechar as duas residências para pessoas com deficiência intelectual viverem de forma mais autónoma. Em causa está a falta de acordo de cooperação com a Segurança Social.