Ponte móvel de Leixões vai fechar durante duas semanas

Ponte móvel de Leixões vai fechar durante duas semanas
| Norte
Porto Canal

A ponte móvel de Leixões vai encerrar durante duas semanas, a partir de dia 20 de junho, para trabalhos de manutenção, segundo anunciou a Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL).

Numa nota de imprensa divulgada pela APDL, pode ler-se: "A Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) informa que vai encerrar a Ponte Móvel de Leixões, a partir das 14 horas do dia 20 de junho de 2022 [segunda-feira], a fim de proceder a trabalhos de manutenção num cilindro, pelo prazo estimado de duas semanas".

A empresa explica que "o transporte entre as margens será assegurado por autocarros fretados pela APDL para o efeito, que contemplam o transporte de bicicletas e equipamentos similares. Esses autocarros irão operar de 10 em 10 minutos durante o dia (das 7 horas às 22 horas) e de 20 em 20 minutos durante a noite (das 22 horas às 7 horas)".

"As paragens situam-se, em Matosinhos, no acesso nascente à Ponte Móvel (junto à paragem da Resende) e, em Leça da Palmeira, por baixo da Ponte (junto à paragem dos STCP)", segundo a APDL.

+ notícias: Norte

Viaturas de adeptos croatas vandalizadas na Trofa. Veja as imagens

Pelo menos sete viaturas com matrícula da Croácia e outras nacionalidades, como Bósnia, foram vandalizadas esta tarde, junto da Estação Ferroviária da Trofa. As viaturas pertencem a adeptos do Hajduk Split, clube que esta tarde defrontou o Vitória, em Guimarães.

Entre os danos, contam-se vários vidros partidos e pneus furados.

Jornalistas agredidos por adeptos do Hajduk Split em Guimarães

Jornalistas e repórteres de imagem foram agredidos esta noite, cerca das 20:05, durante a saída dos adeptos do Hajduk Split do Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.

Através das imagens da Sporttv, que se encontrava em direto, é possível ver alguns jornalistas e repórteres de imagem a serem alvo de pontapés e outras agressões por parte da claque croata.

Utentes da CERCI Braga em risco de ficarem sem apoio 

A CERCI de Braga pode ter de fechar as duas residências para pessoas com deficiência intelectual viverem de forma mais autónoma. Em causa está a falta de acordo de cooperação com a Segurança Social.