EUA aplicam novas sanções por causa de testes de mísseis da Coreia do Norte

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Washington, 27 mai 2022 (Lusa) -- Os Estados Unidos anunciaram hoje novas sanções financeiras, principalmente contra dois bancos russos acusados de apoiar o programa de armas de destruição em massa da Coreia do Norte, após os mais recentes testes norte-coreanos com mísseis balísticos.

As medidas punitivas - que surgem depois de a Rússia e a China terem vetado uma resolução norte-americana no Conselho de Segurança da ONU para fortalecer as sanções internacionais contra Pyongyang - visam o Banco do Extremo Oriente e o Banco Sputnik, duas instituições financeiras russas, bem como uma afiliada da companhia aérea norte-coreana Air Koryo, de acordo com um comunicado do Departamento de Tesouro dos EUA.

Com estas medidas, os ativos destas entidades nos Estados Unidos ficam congelados, além de que o acesso ao mercado norte-americano fica-lhes vedado.

O Departamento de Tesouro lembra que a Coreia do Norte lançou três mísseis balísticos, incluindo um intercontinental, em 24 de maio, logo após a visita do Presidente dos EUA, Joe Biden, à Ásia, tendo já realizado 23 testes de mísseis balísticos desde o início do ano.

"Os Estados Unidos continuarão a implementar e a aplicar sanções, ao mesmo tempo que pedem à Coreia do Norte que regresse à diplomacia e abandone o desenvolvimento de armas de destruição em massa e mísseis balísticos", disse o subsecretário de Tesouro, Brian Nelson, no comunicado.

RJP // PDF

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Vários mortos em tiroteio na Dinamarca. Suspeito é dinamarquês e tem 22 anos

Várias pessoas morreram num tiroteio no centro comercial Field's, em Copenhaga, capital da Dinamarca, revelou a polícia. Uma pessoa foi detida.

Rússia anuncia controlo total da região ucraniana de Lugansk. Ucrânia desmente. 

O ministro da Defesa russo Serguei Shoigu afirmou hoje que as forças russas controlam toda a região ucraniana de Lugansk, no Donbass, depois de conquistada a cidade-chave de Lisichansk, alvo de combates intensos nos últimos dias.

Gazprom baixa exportações e UE prepara-se para viver sem energia russa

A Gazprom exportou no primeiro semestre menos 31% de gás do que no mesmo período do ano passado para os países fora do espaço da pós-soviética Comunidade de Estados Independentes (CEI).