Surto de dengue em Timor-Leste com mais casos e mortes do que em todo o ano de 2021

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Díli, 27 jan 2022 (Lusa) -- O surto de dengue que está a afetar Timor-Leste já causou só este mês praticamente tantas mortes como no conjunto dos dois últimos anos e com mais casos do que os registados em todo o ano de 2021.

Dados do Ministério da Saúde atualizados hoje indicam que desde 01 de janeiro se registaram 18 mortes devido à febre dengue em todo o país, com um total de 1.035 casos, enquanto em todo o ano passado houve 11 mortes e 901 casos.

Em 2020 registaram-se 1.451 casos com 10 mortes, sendo que a taxa de mortalidade, que mede a percentagem de mortes por casos de doença é de 1,7, comparativamente com os 1,2 de 2021 e os 0,7 de 2020.

A maior fatia dos casos, quase 700, registam-se em Díli com cerca de metades desses na zona de Dom Aleixo.

Os dados mostram que continuam a ser os menores de 14 anos a ser os mais afetados, com 316 casos entre crianças dos 05 aos 14, 284 entre crianças de 01 a 04 anos e 50 entre menores de um ano.

O surto, que as autoridades admitem pode continuar durante os próximos meses, está a pressionar os recursos de saúde, especialmente em Díli, com centenas de pacientes em vários locais, incluindo espaços usados no passado para responder à covid-19.

A maioria dos casos em Díli (576) são de febre dengue, com 58 casos de febre hemorrágica e 64 de "síndrome de dengue choque", sendo estas duas as situações mais graves.

 

ASP // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Vários mortos em tiroteio na Dinamarca. Suspeito é dinamarquês e tem 22 anos

Várias pessoas morreram num tiroteio no centro comercial Field's, em Copenhaga, capital da Dinamarca, revelou a polícia. Uma pessoa foi detida.

Rússia anuncia controlo total da região ucraniana de Lugansk. Ucrânia desmente. 

O ministro da Defesa russo Serguei Shoigu afirmou hoje que as forças russas controlam toda a região ucraniana de Lugansk, no Donbass, depois de conquistada a cidade-chave de Lisichansk, alvo de combates intensos nos últimos dias.

Gazprom baixa exportações e UE prepara-se para viver sem energia russa

A Gazprom exportou no primeiro semestre menos 31% de gás do que no mesmo período do ano passado para os países fora do espaço da pós-soviética Comunidade de Estados Independentes (CEI).