Covid-19: Guiné-Bissau registou mais 344 casos e duas vítimas mortais

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Bissau, 25 jan 2022 (Lusa) -- A Guiné-Bissau registou mais 344 casos do novo coronavírus e duas vítimas mortais na última semana, segundo dados hoje divulgados pelo Alto-Comissariado para a Covid-19.

Segundo os dados, referentes à semana entre 17 e 23 de janeiro, foram registados mais 344 novos casos, para um total acumulado de 7.464, e mais duas vítimas mortais, para um total de 154.

Os dados indicam que os novos casos foram registados no Setor Autónomo de Bissau (181), Quinara (40), Bafatá (39), Tombali (38), Bolama (20), Biombo (16) e Cacheu (10).

As vítimas mortais foram registadas nas regiões de Biombo e Tombali.

O alto-comissariado indicou também que 16 pessoas estão internadas e que 71 recuperaram da doença.

Em todo o país realizaram-se 2.164 testes, a maior parte dos quais de vigilância em unidades de saúde (1.108) e os restantes a viajantes.

A taxa de positividade na Guiné-Bissau é de 6,3% e de letalidade de 2%.

A covid-19 provocou 5.593.747 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

MSE // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Vários mortos em tiroteio na Dinamarca. Suspeito é dinamarquês e tem 22 anos

Várias pessoas morreram num tiroteio no centro comercial Field's, em Copenhaga, capital da Dinamarca, revelou a polícia. Uma pessoa foi detida.

Rússia anuncia controlo total da região ucraniana de Lugansk. Ucrânia desmente. 

O ministro da Defesa russo Serguei Shoigu afirmou hoje que as forças russas controlam toda a região ucraniana de Lugansk, no Donbass, depois de conquistada a cidade-chave de Lisichansk, alvo de combates intensos nos últimos dias.

Gazprom baixa exportações e UE prepara-se para viver sem energia russa

A Gazprom exportou no primeiro semestre menos 31% de gás do que no mesmo período do ano passado para os países fora do espaço da pós-soviética Comunidade de Estados Independentes (CEI).