Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

Portugal regista novo recorde com 43.729 casos de Covid-19 e mais 46 mortes nas úlitmas 24h

Portugal regista novo recorde com 43.729 casos de Covid-19 e mais 46 mortes nas úlitmas 24h
| País
Porto Canal com Lusa

Portugal registou hoje 46 mortos e 43.729 novas infeções pelo SARS-CoV-2, o maior número de contágios desde o início da pandemia, revelam os dados oficiais, que apontam um novo aumento de internados em enfermaria.

O número de mortes registado nas últimas 24 horas é o mais elevado desde 26 de fevereiro de 2021, quando foram assinalados 58 óbitos.

Estão agora internadas 1.955 pessoas (mais 17) infetadas com o vírus SARS-CoV-2 em enfermaria, dos quais 160 (menos 14) em unidades de cuidados intensivos, revelam os dados do relatório da avaliação da situação epidemiológica da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde 02 de março do ano passado, quando estavam internados 1.997 doentes, que não havia tantos internados nos hospitais.

Os 46 novos óbitos associados à covid-19 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo (25), na região Norte (11), no Centro (6), na Madeira (3) no Algarve (1) nas últimas 24 horas.

O maior número de novas infeções registou-se na região Norte (18.116) e em Lisboa e Vale do Tejo (13.987).

+ notícias: País

Pelo menos três mortos em acidente com autocarro na A1

 Pelo menos três pessoas morreram, quatro ficaram feridas com gravidade e 26 com ferimentos ligeiros no acidente com um autocarro que se despistou esta manhã na A1, na zona da Mealhada, a caminho de Fátima, informou a Proteção Civil.

Atualizado 21-05-2022 12:17

Portugal com 23 casos confirmados de infeção pelo vírus 'monkeypox'

Mais nove casos de infeção pelo vírus 'monkeypox' foram confirmados em Portugal, totalizando 23, anunciou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS), que aguarda resultados relativamente a outras amostras.

Serviços mínimos não estão garantidos e há ambulâncias do INEM paradas

Mais de uma dezena de ambulâncias do INEM estão paradas devido à greve da Função Pública, segundo o Sindicato dos Técnicos de Emergência Pré-Hospitalar, que revelou que o instituto não nomeou os elementos para garantir serviços mínimos, tarefa que o INEM diz não ser necessária.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.