Covid-19: Madeira recebeu 12.000 vacinas pediátricas e inicia inoculação de crianças na terça-feira

| País
Porto Canal com Lusa

Funchal, Madeira, 12 dez 2021 (Lusa) -- A Madeira recebeu hoje 12.000 vacinas pediátricas e vai iniciar o processo de inoculação de crianças entre os 5 e os 11 anos na terça-feira, indicou o secretário regional da Saúde, referindo que universo é de 14.715 utentes.

"A estratégia regional definiu 19 momentos de vacinação das crianças na Região Autónoma da Madeira até ao dia 30 de dezembro", disse Pedro Ramos, sublinhando que o objetivo é "aproveitar ao máximo" a interrupção letiva do Natal e "acelerar a vacinação" dos mais novos.

O governante explicou, em conferência de imprensa, no Funchal, que será dada prioridade às crianças com patologias associadas, mediante contacto e marcação do dia através serviços de saúde, decorrendo, contudo, "quase em simultâneo" a inoculação das restantes.

"A vacinação das crianças irá decorrer na forma de 'porta aberta'", disse, reforçando: "A estratégia definida permitirá assegurar a vacinação das crianças entre os 5 e os 11 anos nos centros de vacinação da sua área de residência, deixando a possibilidade de serem vacinadas noutro centro, caso seja a vontade dos pais".

O processo conta com o apoio de uma equipa médica que irá percorrer os 11 concelhos da região autónoma em regime de mobilidade, bem como de uma linha de apoio gerida por pediatras no Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal.

"No Centro de Vacinação do Funchal será instalado um monitor de entretenimento para as crianças e haverá uma equipa de animação especializada", disse Pedro Ramos, indicando que o procedimento será semelhante nos restantes concelhos.

O processo de vacinação das crianças dos 5 aos 11 anos tem início às 14:00 de terça-feira, 14 de dezembro, no Centro de Vacinação do Funchal, decorrendo no mesmo local também no dia 15.

No dia 17 de dezembro as vacinas serão administradas no Porto Santo; nos dias 18, 19 e 20 novamente no Funchal; no dia 21 em Câmara de Lobos e Ribeira Brava (zona oeste da ilha da Madeira); no dia 22 em Machico e Santa Cruz (zona leste); no dia 23 regressa a Câmara de Lobos e Ribeira Brava; no dia 27 na Ponta do Sol e Calheta (zona oeste); no dia 28 em São Vicente e Porto Moniz (costa norte); no dia 29 em Santana (norte) e Funchal, onde também terá lugar no dia 30 de dezembro.

Nos dias 24, 25, 26 e 31 de dezembro e no dia 01 de janeiro de 2022 os centros de vacinação estarão encerrados.

O secretário regional da Saúde disse que, na Madeira, a segunda dose da vacina pediátrica, fornecida pela farmacêutica Pfizer, será aplicada 21 dias após a primeira toma.

"É bom para as crianças, é bom para reduzir a doença, é bom para reduzir o número de casos, é bom para reduzir o absentismo", disse Pedro Ramos referindo-se à vacinação na faixa etária dos 5 aos 11 anos.

E reforçou: "É bom para evitar contaminação nos lares e nos agregados familiares, é bom para reduzir o impacto na saúde mental neste escalão etário, é bom para reduzir as situações mais graves nas crianças."

De acordo com a Direção Regional de Saúde, o arquipélago da Madeira, com cerca de 251 mil habitantes, regista 852 casos ativos de covid-19, com 29 doentes hospitalizados, num total de 14.858 confirmados desde o início da pandemia.

A região autónoma sinaliza também 119 óbitos associados à doença.

Os dados oficiais apontam para um total de 85% da população com a vacinação completa contra a covid-19 e 87% iniciada.

DC // CSJ

Lusa/Fim

+ notícias: País

Fisco vai avaliar e atualizar matrizes das barragens para cobrar IMI

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai fazer uma avaliação e atualização das matrizes das barragens e avançar com a cobrança do IMI desta tipologia de bens, segundo determina um despacho do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Nuno Félix.

Período de transição entre contratos do SIRESP vai custar ao Estado 7,4 milhões de euros

O período de transição vai custar, ao Estado, 1,2 milhões de euros por mês. De acordo com o Jornal de Notícias, o processo só deverá estar concluído no final de junho.

Primeiro prazo para reforço do poder das regiões já falhou

O prazo para o reforço do poder das regiões, no âmbito da transferência de competências das direcções regionais para as CCDR, seria o fim de janeiro. No entanto, de acordo com o jornal Público, o diploma ainda não está concluído.