Info

Idade da reforma recua para 66 anos e 4 meses em 2023

Idade da reforma recua para 66 anos e 4 meses em 2023
| Economia
Porto Canal com Lusa

A idade da reforma deverá recuar para 66 anos e quatro meses em 2023 e o fator de sustentabilidade aplicado às pensões antecipadas cairá para 14,06% em 2022, segundo cálculos com base em dados do INE.

Os cálculos feitos pela Lusa basearam-se nos dados provisórios do Instituto Nacional de Estatística (INE) conhecidos hoje sobre a esperança média de vida aos 65 anos, que caiu quatro meses, para 19,35 anos, no triénio de 2019 a 2021, devido à mortalidade associada à pandemia de covid-19.

A idade legal da reforma está a subir há vários anos, associada à esperança média de vida (que tem aumentado), sendo este ano de 66 anos e seis meses. No próximo ano será de 66 anos e sete meses, mas, em 2023, deverá então recuar para 66 anos e quatro meses.

Por sua vez, o fator de sustentabilidade, que é um corte aplicado a algumas pensões antecipadas, também associado à esperança média de vida, deverá reduzir-se dos atuais 15,5% para 14,06% em 2022.

Nos últimos anos, o fator de sustentabilidade deixou de ser aplicado em algumas situações, como é o caso das pessoas que se reformam por antecipação à idade legal, mas com longas carreiras contributivas.

Além do fator de sustentabilidade, as reformas antecipadas estão ainda sujeitas a cortes de 0,5% por cada mês de antecipação face à idade legal de reforma ou face à idade pessoal.

+ notícias: Economia

Arranque da semana marcado com novo aumento dos combustíveis  

O arranque desta semana fica marcado com um novo aumento dos combustíveis, com a gasolina a aumentar um cêntimo e o gasóleo a rondar uma subida de dois cêntimos por litro. Com o pouco movimento que o Porto Canal verificou na manhã desta segunda-feira, os Portuenses optaram por abastecer o depósito no fim de semana.

Covid-19: Adesão a pagamento fracionado do IVA não exige quebra de faturação de 10%

As micro e pequenas empresas que pretendam aderir ao pagamento fracionado do IVA e retenções na fonte do IRS e IRC podem fazê-lo mesmo que não tenham registado uma quebra de faturação de 10%, segundo um despacho agora publicado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.