Info

OE2022: Presidente da República avisa que chumbo do Orçamento "muito provavelmente" conduziria a eleições

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 13 out 2021  (Lusa) -- O Presidente da República avisou hoje que um eventual chumbo do Orçamento do Estado para 2022 "muito provavelmente" conduziria à dissolução do parlamento e a eleições antecipadas, com "seis meses de paragem na vida nacional".

Em declarações aos jornalistas, à saída das novas instalações da associação Ajuda de Berço, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa argumentou que "dificilmente o Governo poderia continuar a governar com o Orçamento deste ano dividido por doze, sem fundos europeus".

O chefe de Estado estimou que as eleições legislativas antecipadas se realizariam em janeiro, que o novo Governo tomaria posse em fevereiro e que só haveria Orçamento em abril e realçou que neste período haveria uma "paragem em muitos fundos europeus".

Após traçar este cenário, deixou a pergunta: "Será que o Orçamento a aparecer em abril, supondo que era fácil aprová-lo em abril, compensava os custos todos disto que eu acabei de vos dizer?".

"Portanto, porque o bom senso mostra que os custos são muito elevados, tenho para mim que o natural é que, com mais entendimento, com menos entendimento, com mais paciência, com menos paciência, acaba por passar na Assembleia da República o Orçamento do Estado", concluiu Marcelo Rebelo de Sousa, que na sexta-feira irá receber os partidos com assento parlamentar no Palácio de Belém.

IEL // SF

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Rui Rio anuncia voto contra do PSD no Orçamento do Estado para 2022

O presidente do PSD, Rui Rio, anunciou hoje que vai propor à direção nacional o voto contra do partido no Orçamento do Estado para 2022.

Silva Tiago acusado de peculato 

O Presidente Reeleito à Câmara Municipal da Maia, António Silva Tiago, é um dos seis arguidos que o Ministério Público acusa de "apropriação indevida de dinheiros" dos serviços do município da Maia.

PS Porto garante ter sido abordado por Rui Moreira primeiro que o PSD

O Partido Socialista garantiu ter sido abordado por Rui Moreira primeiro que o PSD relativamente ao Acordo de Governação no Porto. Em declarações ao Porto Canal, Manuel Pizarro, Presidente da Federação Distrital do PS Porto, disse que "o Doutor Rui Moreira fez o que era expectável ao convidar o PS para fazer um acordo".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.