Info

Covid-19: Testes em massa à população de Macau concluídos, todos os resultados negativos

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Macau, China, 28 set 2021 (Lusa) - As autoridades de Macau anunciaram hoje que os resultados dos testes de covid-19 à população, iniciados no sábado e concluídos hoje, foram "todos negativos", tendo sido testadas quase 690 mil pessoas.

"No total foram recolhidas amostras de 689.766 pessoas e todos os resultados deram negativo", informou o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, em comunicado.

Macau concluiu hoje os testes em massa a toda a população iniciados no sábado, após ter detetado um caso num viajante proveniente da Turquia, na sexta-feira, e mais dois casos conexos no dia seguinte, dois seguranças em hotéis onde se realizam quarentenas obrigatórias para quem chega ao território.

Apesar de as quase 690 mil pessoas testadas desde sábado terem tido resultado negativo, as autoridades detetaram infeções de covid-19 em mais sete pessoas, além do primeiro viajante diagnosticado na sexta-feira: seis seguranças e mais uma viajante, proveniente de Hong Kong.

A proliferação de casos entre os seguranças já tinha levado hoje as autoridades de saúde a anunciar a transferência de mais de 150 pessoas que cumpriam quarentena num dos hotéis, por prevenção, com o período de isolamento a ser estendido em alguns casos.

Segundo as informações mais recentes, mais de 2.700 pessoas estão em isolamento em hotéis de Macau.

As autoridades anunciaram ainda que foi definida mais uma zona de código amarelo, com os residentes a serem sujeitos a pelo menos mais um teste, não podendo sair das suas casas antes de ser conhecido o resultado.

Mais de 800 pessoas foram também colocadas em quarentena por terem percursos idênticos aos primeiros dois seguranças diagnosticados.

Esta foi a segunda vez que o território organizou testes em massa. Em agosto, após a deteção de quatro casos da variante Delta do novo coronavírus, todos na mesma família, o Governo de Macau também decretou o "estado de emergência imediata" e testou toda a população.

Desde o início da pandemia, Macau diagnosticou apenas 71 casos de covid-19 e não registou qualquer morte associada à doença ou infetados entre os profissionais de saúde.

No entanto, pouco mais de metade da população está vacinada, apesar de a administração gratuita da vacina estar disponível há mais de meio ano.

A resistência à vacina em Macau levou mesmo as autoridades sanitárias a determinarem que os trabalhadores de Macau, nos setores público ou privado, ficam obrigados a fazer um teste à covid-19 a cada sete dias, caso não estejam vacinados.

A covid-19 provocou pelo menos 4.752.875 mortes em todo o mundo, entre 232,27 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.962 pessoas e foram contabilizados 1.067.775 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

PTA (JMC/MIM) // PJA

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Jovens entre os 12 e os 18 anos estão impedidas de ir às aulas e professor pede ajuda internacional no Afeganistão

Quase quatro milhões de crianças, entre os 12 e os 18 anos, estão impedidas de ir à escola, no Afeganistão e, um professor pede ajuda internacional a pedir que instituições de todo o mundo possam dar-lhes aulas online para que consigam continuar a estudar.

Covid-19: Pandemia já matou quase 4,92 milhões pessoas em todo o mundo

Paris, 21 out 2021 (Lusa) - A pandemia de covid-19 matou, até hoje, pelo menos 4.919.395 pessoas em todo o mundo desde o final de dezembro de 2019, segundo um balanço realizado pela agência de notícias francesa AFP com base em fontes oficiais.

Fundo Monetário Internacional considera que vacinas e variantes determinam evolução das economias africanas

Washington, 21 out 2021 (Lusa) - O Fundo Monetário Internacional (FMI) considerou hoje que o regresso à vida normal pós-pandemia na África subsariana não vai ser fácil e vai depender da evolução da vacinação e das variantes da covid-19.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.