Covid-19: Ordem dos Enfermeiros diz que vacinação em crianças deve aguardar mais informação

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 27 jul 2021 (Lusa) -- A Ordem dos Enfermeiros (OE) defendeu hoje ser "prudente aguardar" por mais informação científica quanto aos benefícios e efeitos a médio e longo prazo sobre a vacinação das crianças e jovens entre os 12 e os 15 anos.

"Considerando a evidência científica à data e ponderado o facto de que os benefícios para o grupo etário pediátrico saudável parecem ser limitados, entende-se ser prudente aguardar por uma maior e mais robusta evidência científica quanto aos benefícios e efeitos a médio e longo prazo, antes de ser tomada uma decisão de vacinação universal deste grupo etário", refere o parecer da OE enviado à Direção-Geral da Saúde (DGS).

Apesar de defender que se deve aguardar por mais informação científica sobre a vacinação das crianças e jovens entre os 12 e os 15 anos, a Ordem dos Enfermeiros considera que a "prioridade se deve centrar no processo de vacinação de pessoas com mais de 18 anos da forma mais célere possível" face à situação epidemiológica.

O parecer da OE, emitido após ouvido o Colégio de Especialidade em Enfermagem de Saúde Infantil e Pediátrica, observa que no caso das crianças, com 12 anos ou menos, com comorbilidades associadas a risco elevado para a covid-19, devem ser aconselhadas à vacinação pelo profissional responsável pelo seu acompanhamento, recordando uma norma da DGS de 07 de julho.

Para fundamentar o seu parecer, a Ordem do Enfermeiros recorda ainda que atualmente e face à informação conhecida, "ao vacinar adultos se reduz o risco de exposição das crianças e adolescentes".

A OE alega também que "não há, até à data, evidência do impacto que a vacinação de adolescentes possa desempenhar na transmissão dos vírus".

O processo de vacinação dos jovens com menos de 18 anos está atualmente em análise pela DGS e uma decisão deve ser conhecida oficialmente nos próximos dias, depois de ter sido anteriormente solicitado pelo organismo liderado por Graça Freitas um período de cerca de duas semanas para análise de toda a informação disponível sobre as vacinas nesta população.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.307 pessoas e foram registados 956.985 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

CMP // ZO

Lusa/fim

+ notícias: País

Mais de 70% dos emigrantes querem regressar a Portugal

Mais de 70% dos portugueses residentes no estrangeiro querem regressar a Portugal, a médio ou longo prazo, e 73% já investiram ou consideram como provável investir no seu país, segundo um inquérito da Sedes divulgado hoje.

Temperaturas sobem a partir de 4.ª e podem atingir 40 graus em algumas regiões

As temperaturas vão subir a partir de quarta-feira em Portugal continental, podendo atingir os 40 graus Celsius na quinta-feira em algumas regiões, levando a um aumento significativo do perigo de incêndio rural, Segundo o IPMA.

TAP: "Reconhecemos que não estamos a oferecer serviço de excelência"

Christine Ourmières-Widener, presidente executiva da TAP, reconheceu, esta segunda-feira, que a companhia aérea não "está a oferecer o serviço de excelência" que planeou, face à crise que o transporte aéreo atravessa e que "este fim de semana não foi fácil para a TAP devido a constrangimentos vários".