Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

UE atinge meta de 70% de adultos vacinados com primeira dose

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Bruxelas, 27 jul 2021 (Lusa) -- A União Europeia (UE) atingiu hoje a meta dos 70% de adultos vacinados contra a covid-19, ainda com a primeira dose, em linha com o ambicionado pela Comissão Europeia, que fala num "marco importante" para a luta contra a pandemia.

"Hoje, atingimos um marco importante, tendo 70% da população adulta da UE recebido uma primeira dose de uma vacina anticovid-19. É um momento de que a UE se pode orgulhar coletivamente", declara a comissária europeia da Saúde, Stella Kyriakides, numa reação enviada à agência Lusa.

A responsável pela tutela sanitária diz também estar "satisfeita por 57% dos adultos da UE estarem agora totalmente vacinados, com mais cidadãos a serem vacinados todos os dias".

"As projeções mostram que vamos atingir o nosso objetivo de assegurar uma vacinação completa de pelo menos 70% até ao final do verão", sendo essa a grande meta estipulada por Bruxelas, acrescenta.

Ainda assim, Stella Kyriakides vinca nesta posição enviada à Lusa que "agora não é o momento de ser complacente e baixar a guarda".

"A ameaça de variantes mais transmissíveis está presente e é real, com o número de casos a aumentar novamente em todos os Estados-membros e alguns a ficarem preocupantemente para trás na vacinação", assinala a responsável, pedindo aos "cidadãos para que confiem na ciência e se vacinem, para se protegerem a si próprios e aos outros à sua volta".

"Precisamos de fechar a lacuna da imunidade e a porta para novas variantes e as vacinas devem ganhar a corrida sobre as variantes", insiste Stella Kyriakides, numa alusão nomeadamente à estirpe Delta, detetada na Índia e mais transmissível do que qualquer outra.

Atualmente, estão aprovadas quatro vacinas anticovid-19 pelo regulador da UE: a Comirnaty (nome comercial da vacina Pfizer/BioNTech), Spikevax (nome comercial da vacina da Moderna), Vaxzevria (novo nome do fármaco da AstraZeneca) e Janssen (grupo Johnson & Johnson).

Além dos atrasos na entrega das vacinas e em quantidades aquém das contratualizadas por parte da farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca, a campanha de vacinação da UE tem sido marcada por casos raros de efeitos secundários como coágulos sanguíneos após toma deste fármaco, relação confirmada pelo regulador europeu, como também aconteceu com a vacina da norte-americana Johnson & Johnson.

No caso da AstraZeneca, a farmacêutica foi obrigada judicialmente (por um tribunal belga) a cumprir os prazos de entrega de vacinas à UE.

Também numa declaração hoje à imprensa, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, salienta que "a UE cumpriu a sua palavra e cumpriu".

"O nosso objetivo era proteger 70% dos adultos na União Europeia com pelo menos uma vacinação em julho e hoje atingimos este objetivo, [além de que] 57% dos adultos já têm a proteção total da dupla vacinação", vinca a líder do executivo comunitário.

Salientando que "estes números colocam a Europa entre os líderes mundiais", Ursula von der Leyen lembra que "a variante Delta é muito perigosa" e, por isso, exorta "todos os que têm oportunidade a serem vacinados".

ANE // SB

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Militar cercado em Azovstal partilha fotografias do interior dos abrigos. Veja as imagens aqui

Um militar ucraniano do regimento Azov colocou à disposição do público uma seleção de fotografias tiradas no interior da fábrica de aço Azovstal, último reduto da resistência ucraniana na cidade portuária de Mariupol.

Putin ameaça com ataques "relâmpago" em caso de intromissão estrangeira

O Presidente russo, Vladimir Putin, ameaçou hoje que responderá com um ataque "relâmpago" a qualquer ingerência estrangeira na Ucrânia, onde está há dois meses em curso uma guerra desencadeada pela invasão do exército russo.

Irão diz ter apresado dois navios gregos no Golfo Pérsico

Dubai, 27 mai 2022 (Lusa) -- A Guarda Revolucionária do Irão confirmou hoje ter apresado dois petroleiros gregos no Golfo Pérsico, após o Irão ter ameaçado Atenas com uma "ação punitiva" pelo seu envolvimento no sequestro de um petroleiro iraniano a pedido dos Estados Unidos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Festivais - JN North Festival