Info

Crianças e bailarinos "dão corpo" à peça "Peixe Dança" que se estreia sexta-feira em Gaia

| Norte
Porto Canal com Lusa

Vila Nova de Gaia, Porto, 22 jul 2021 (Lusa) -- Crianças e jovens da Casa de Acolhimento Residencial António Cândido e bailarinos da Kale Companhia de Dança, em Vila Nova de Gaia, "dão corpo" à peça de dança "Peixe Dança", que se estreia na sexta-feira, no armazém 22.

A peça, uma criação artística da coreógrafa Aldara Bizarro, junta em palco jovens bailarinos profissionais e jovens cujo contacto com as artes do espetáculo é "muito pouco ou nenhum", contou à Lusa a coreógrafa.

A "Peixe Dança", que se desenvolveu durante três semanas, trabalha a "ideia de corpo e de como este está treinado para dançar e se exprimir", disse Aldara Bizarro à margem de um ensaio de imprensa.

"O que oferece um corpo na sua forma mais pura a uma obra de dança e o que oferece um corpo que cresceu dentro da dança à mesma obra", disse a coreógrafa, questionando o lugar de cada um, no esforço de criação.

Em palco, vestidos de cores fortes como azul, verde, amarelo ou laranja, os bailarinos, de diferentes idades e aptidões, vão-se alinhando e desalinhando "ao sabor do corpo".

Aldara Bizarro contou que o processo não foi fácil, porque para as crianças e jovens da Casa de Acolhimento Residencial António Cândido, que participam na peça - o mais novo com cinco anos -, é "tudo muito novo", não tendo perceção da necessidade do silêncio, da exigência e da atenção.

Estas são competências que foram, porém, conquistando, à medida que o grupo se foi criando e solidificando.

Aldara Bizarro acredita que, quando "ouvirem as palmas do público", no final, vão perceber que "tudo fez sentido".

A coreógrafa sublinhou que o silêncio é "essencial" para o corpo "poder falar", dizendo que é como se a "dança fizesse a sua própria dramaturgia".

Os corpos, uns muito bem treinados e outros nem tanto, constroem um "diálogo muito rico de dança", transmitindo a ideia de união que envolve toda a peça, comentou.

"Em palco tentamos sempre estar muito unidos e criar a ideia de um todo, uma espécie de cardume, e ter patente a ideia de que precisamos de estar juntos para responder às situações que nos são colocadas na vida", concluiu Aldara Bizarro.

A peça de dança "Peixe Dança" sobe ao palco na sexta-feira e no sábado, pelas 19:00, no armazém 22, em Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto.

SVF // MAG

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Homem esfaqueado fica gravemente ferido em rixa no Porto

Uma rixa que despoletou no Campo dos Mártires da Pátria, no Porto, às 3h da madrugada de sábado, provocou um ferido grave e vários ligeiros, segundo o que o Porto Canal apurou junto das autoridades.

Queda de árvore mata homem em Vila do Conde

Um homem morreu, na tarde deste sabádo, na sequência da queda de uma árvore, em Vila do Conde. Ao que o Porto Canal apurou, o alerta foi dado pelas 14h28 e no local estão os Bombeiros Voluntários de Vila do Conde.

Luísa Salgueiro diz que "só depois das eleições será evidente o esforço feito relativamente à Petrogal"

A atual autarca de Matosinhos, Luísa Salgueiro, falou acerca da Petrogal no debate promovido pelo Porto Canal na última terça-feira, e disse que "só depois das eleições será evidente o esforço feito".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.