Governo avisa que a TAP vai pagar subsídios de férias diretamente aos trabalhadores da Groundforce 

Governo avisa que a TAP vai pagar subsídios de férias diretamente aos trabalhadores da Groundforce 
| Economia
Porto Canal com Lusa

A TAP vai pagar diretamente aos trabalhadores da Groundforce o valor correspondente ao subsídio de férias e às anuidades em atraso, anunciou hoje o Ministério das Infraestruturas e Habitação, em comunicado.

Nessa nota, a tutela de Pedro Nuno Santos indicou que "foi comunicado hoje, em reunião com sindicatos da Groundforce, que a TAP vai proceder ao pagamento do valor correspondente ao subsídio de férias e às anuidades em atraso diretamente aos trabalhadores" da empresa de 'handling'.

"Esta foi a solução encontrada para ultrapassar a recusa na semana passada da administração da Groundforce em aceitar a transferência da TAP que permitiria o pagamento aos trabalhadores do subsídio que lhes era devido", adiantou o Governo.

"Ao mesmo tempo, a TAP vai abreviar o pagamento definido contratualmente para saldar a fatura relativa a serviços prestados em junho, garantindo que a administração da Groundforce tem liquidez suficiente para pagar integral e atempadamente os salários dos trabalhadores relativos ao mês de julho", adiantou o ministério, sublinhando "que o valor dos serviços prestados pagos pela TAP à Groundforce é superior às necessidades salariais dos trabalhadores" da empresa.

+ notícias: Economia

Tribunal de Contas atento ao acolhimento das recomendações

O presidente do Tribunal de Contas, José Tavares, afirmou que o Tribunal “continuará ativo” em relação ao Novo Banco nomeadamente ao nível da aplicação das recomendações formuladas nas auditorias.

Inspeção-Geral de Finanças já deu parecer positivo a pagamento da 2.ª tranche

A Inspeção-Geral das Finanças deu parecer positivo ao pagamento da segunda tranche do Plano de Recuperação e Resiliência, no valor de cerca de dois mil milhões de euros, seguindo agora o pedido de Portugal para Bruxelas.

Euribor volta a subir para novos máximos a três, seis e 12 meses

As taxas Euribor voltaram esta terça-feira a subir a três, a seis e a 12 meses para novos máximos em mais de 10 anos.