Info

Vencedor da primeira volta reclama junto da Comissão Eleitoral sobre dados

| Mundo
Porto Canal com Lusa

São Tomé, 21 jul 2021 (Lusa) -- O vencedor da primeira volta das eleições presidenciais são-tomenses, Carlos Vila Nova, já reclamou junto da Comissão Eleitoral Nacional (CEN) para exigir esclarecimentos sobre os dados provisórios, insistindo que o seu resultado foi superior ao divulgado.

"Vamos continuar a trabalhar no sentido que a Comissão Eleitoral esclareça de facto o povo de São Tomé e Príncipe sobre o que se passou, qual é a sua intenção e o porquê da interrupção" da divulgação dos resultados eleitorais na noite de domingo, disse hoje Vila Nova, em entrevista à agência Lusa e à Rádio França Internacional (RFI), na capital são-tomense.

O candidato, apoiado pela Ação Democrática Independente (ADI, oposição), obteve 39,47% dos votos, num total de 32.022 votos, passando à segunda volta das presidenciais com Guilherme Posser da Costa (apoiado pelo Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe -- Partido Social Democrata), que teve 16.829 votos (20,75%).

"Vamos continuar a fazer esse trabalho e procurar informações, interpor recursos, reclamações", acrescentou, especificando que a sua candidatura já apresentou reclamações junto da CEN.

Vila Nova apontou que, desde o dia da eleição, a sua equipa alertou para "fenómenos estranhos que vinham acontecendo e que lamentavelmente mancham estas eleições".

"Pela primeira vez interrompeu-se a emissão com pretextos que não convencem ninguém", disse, referindo-se à transmissão em direto, pela rádio e televisão nacionais, dos resultados das mesas de voto.

"Quando a contagem dava uma estimativa de intenção de voto de 43 por cento ao candidato Vila Nova, faltava ainda o distrito de Mé-Zochi, que é um bastião nosso por simpatia e por tradição nessas eleições, e é o segundo mais populoso do país. A verdade é que, sem qualquer explicação, quase 24 horas depois, a Comissão Eleitoral anuncia os resultados preliminares e o candidato Vila Nova passa a 39 por cento e não se sabe se o distrito de Mé-Zochi está incluído ou não", relatou.

Além disso, no apuramento de dados com base nos editais e nas atas, a candidatura de Vila Nova concluiu que há "por explicar cerca de 4.500 votos" que alegadamente faltam.

Casos todos esses votos fossem atribuídos à sua candidatura, disse, seria "uma margem muito mais confortável".

"Nós sempre acreditámos no nosso trabalho e que poderíamos resolver essas eleições à primeira volta", comentou.

"O povo sente-se roubado. Na nossa candidatura tudo faremos para respeitar o povo e que as eleições não baixem de maneira nenhuma o amadurecimento democrático que São Tomé e Príncipe tem vivido", afirmou.

 

JH // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Pandemia já matou pelo menos 4,09 milhões de pessoas no mundo

A pandemia de covid-19 matou, até hoje, pelo menos 4.093.263 pessoas no mundo desde o final de dezembro de 2019, segundo um levantamento realizado pela agência de notícias francesa AFP com base em fontes oficiais.

Quatro portugueses detidos em Espanha por suposta violação de duas mulheres

Redação, 24 jul 2021 (Lusa) -- A polícia espanhola anunciou ter detido hoje quatro cidadãos portugueses por suposta violação múltipla e abusos sexuais a duas mulheres de 22 e 23 anos, numa pensão em Gijón, no norte do país.

Polícia moçambicana detém militares em ajuntamento a beberem álcool e armados

Maputo, 24 jul 2021 (Lusa) -- A polícia moçambicana deteve na sexta-feira militares que bebiam álcool armados e fardados na cidade de Pemba, norte do país, num aglomerado, à noite, violando as medidas de prevenção de covid-19, anunciaram hoje as autoridades.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.