Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

França vai exigir teste com máximo de 24 horas a viajantes de Portugal

França vai exigir teste com máximo de 24 horas a viajantes de Portugal
| País
Porto Canal com Lusa

A França vai exigir a partir de domingo testes PCR ou antigénio à covid-19 com máximo de 24 horas a viajantes não vacinados provenientes de Portugal e outros países europeus, em contraste com as 72 horas em vigor.

Espanha, Países Baixos, Grécia e Chipre são os outros países que terão o sistema de controlo reforçado, que também se aplica aos viajantes do Reino Unido, os quais tinham de apresentar um teste negativo feito 48 horas antes e que, agora, passarão igualmente para 24 horas, com a medida a entrar em vigor às 00:00 de domingo (hora local).

O anúncio foi feito através de um comunicado emitido pelo gabinete do primeiro-ministro de França, Jean Castex, que justifica o mesmo com o aumento de casos de covid-19 no território gaulês e a nível mundial, sobretudo devido à variante delta.

O governo francês, por outro lado, reduziu de 14 para sete dias o período após a toma da segunda dose da vacina a partir do qual se poderá entrar no país sem um teste de deteção, sendo que, no caso da vacina Janssen, de apenas uma dose, ou para quem já contraiu o vírus e apenas tomou uma dose única, esse período efetiva-se em 28 dias.

O governo de França advertiu que irá reforçar os controlos das fronteiras terrestres, aéreas e marítimas do país, de forma a assegurar o cumprimento destas medidas.

+ notícias: País

Mais 16 infeções de 'monkeypox' confirmadas, elevando para 74 o número de casos em Portugal

Mais 16 casos de 'monkeypox' foram confirmados em Portugal, elevando para 74 o número total de infeções, adiantou hoje a Direção-Geral da Saúde, informando que a situação clínica de todos os doentes é estável.

Diretor da unidade de urgência do São João alerta para a situação de atraso que Portugal se encontra no que diz respeito à medicina de urgência

O Diretor da unidade de gestão de urgência e medicina intensiva, Nelson Pereira, falou ao Porto Canal no dia em que se assinala a medicina de urgência e emergência e, alertou para a situação de atraso que Portugal se encontra no que diz respeito à medicina de urgência. Segundo apurou o Porto Canal, Portugal é o país da União Europeia com maior taxa de procura pelos serviços de urgência e face a estes números, Nelson Pereira, referiu que já que se assinala este dia a nível internacional é importante chamar atenção de toda a realidade para que entidades responsáveis, como "a ordem dos médicos e o governo", possam resolver e ultrapassar este problema. 

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Festivais - JN North Festival