João Almeida: "É fundamental saber e dizer a todos os portugueses como é que depois de dois anos tão difíceis podem melhorar a sua vida"

| Norte
Porto Canal

O Candidato à Câmara Municipal de São João da Madeira, João Almeida, afirma que "o que está em cima da mesa é sempre o pós-pandemia e a recuperação económica de Portugal afetada pela pandemia". O candidato diz que é "fundamental saber e dizer a todos os portugueses como é que depois de dois anos tão difíceis podem melhorar a sua vida".

João Almeida, em declarações ao Porto Canal, acrescenta que "no painel desta manhã contam com a presença de um Ex-Presidente da Câmara Municipal de São João da Madeira, um especialista na gestão de Fundos Europeus, Manuel Castro Almeida que vem falar sobre os fundos que Portugal vai ter à sua disposição, o Presidente da Confederação de Turismo de Portugal e, ainda Joana Santos, Secretária-geral da associação de ourives e relojoeiro de Portugal". 

O candidato, refere ainda que "vê que o crescimento é muito baixo e, assim, os portugueses continuarão a ser os Europeus que menos vão receber". 

 

 

+ notícias: Norte

Populares e ativistas marcaram presença num protesto contra a exploração de lítio na mina do Barroso

Na manhã desta terça-feira, dezenas de populares e ativistas marcaram presença numa manifestação contra a exploração de lítio na mina do Barroso. A arruada simbólica serviu de alerta para os impactos ambientais e para a escassez de água de que a região enfrenta e que a extração mineira pode agravar.

Trabalhadores da maior produtora de cogumelos frescos em greve por melhores salários e condições de trabalho

Os trabalhadores das unidades de produção da maior produtora de cogumelos frescos do país estiveram em greve ao longo desta terça-feira. Ao que apurou o Porto Canal, os trabalhadores exigem um aumento dos salários, do subsídio de alimentação e ainda melhores condições de trabalho.

Uso "desenfreado" de trotinetes aumentou "medo de usar o espaço público" em invisuais

O uso "desenfreado e sem civismo" de trotinetes aumentou o medo de usar o espaço público nas pessoas invisuais, agudizando o sentimento de isolamento de quem não vê, denunciou esta terça-feira a Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal.