Info

Governo prolonga situação de calamidade até 11 de julho

Governo prolonga situação de calamidade até 11 de julho
portugal.gov.pt
| País
Porto Canal com Lusa

O Governo prolongou hoje a situação de calamidade em Portugal continental até 11 de julho, no âmbito do combate à pandemia de covid-19, anunciou a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

O Governo prolongou hoje a situação de calamidade em Portugal continental até 11 de julho, no âmbito do combate à pandemia de covid-19, anunciou a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva.

"O Conselho de Ministros aprovou hoje a resolução que prorroga a situação de calamidade em todo o território nacional até às 23:59 do próximo dia 11 de julho e que altera as medidas aplicáveis a determinados concelhos no âmbito da situação de calamidade", afirmou Mariana Vieira da Silva, na conferencia de imprensa realizada após o Conselho de Ministros.

A situação de calamidade, nível de resposta a situações de catástrofe mais alto previsto na Lei de Base da Proteção Civil, entrou em vigor a 01 de maio e tem sido renovada quinzenalmente.

A atual situação de calamidade termina às 23:59 de domingo.

+ notícias: País

Dois mortos e 599 novos casos de infeção em Portugal nas últimas 24 horas

Portugal regista hoje duas mortes atribuídas à covid-19, assim como 599 novos casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 e mais sete pessoas internadas, sem nenhum novo caso nos cuidados intensivos, segundo dados da Direção-Geral da Saúde (DGS).

 'Task force' está a preparar transição para a vacinação contra a gripe

A 'task force' criou um núcleo que vai ajudar a assegurar a transição da vacinação contra a covid-19 para a vacinação contra a gripe, afirmou hoje o coordenador daquela estrutura, Henrique Gouveia e Melo.

Confederação do Turismo diz que "apoios têm de sair do papel" para ajudar as empresas

O Presidente da Confederação do Turismo, Francisco Calheiros, disse, em declarações ao Porto Canal, que "os apoios têm de sair do papel" porque as empresas "estão presas por arames".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS