Info

Produção de cereja deve triplicar este ano face a 2020

| Economia
Porto Canal com Lusa

Redação, 21 jun 2021 (Lusa) -- A campanha de cereja deverá ser "muito positiva" este ano e triplicar a produtividade face a 2020, enquanto a produção de pêssego deverá também aumentar, para "níveis próximos da média dos últimos cinco anos", informou hoje o INE.

Segundo as previsões agrícolas em 31 de maio do Instituto Nacional de Estatística (INE), já quanto aos cereais de outono/inverno "não se confirmaram totalmente" as expectativas iniciais, "embora se mantenham previsões de aumento de produtividade no trigo mole, cevada e aveia (+5%) e de manutenção no trigo duro, triticale e centeio".

Relativamente à campanha da cereja, e "apesar de algumas dificuldades nas variedades mais precoces, deverá atingir um rendimento unitário acima das 3,7 toneladas por hectare, o triplo do alcançado em 2020".

"Na cereja, regista-se um atraso de cerca de duas semanas no início da campanha, sendo que a maioria dos produtores apenas começou a colher os frutos na terceira semana de maio. Para este facto contribui a maturação mais tardia das variedades precoces e a falta de qualidade comercial da primeira produção destas variedades, muito afetada pela precipitação dos últimos dias de abril e primeiros de maio", nota o INE.

Ainda assim, o instituto ressalva que "a principal fatia de produção provém das variedades de estação, que têm amadurecido em condições favoráveis", pelo que se prevê "um significativo aumento de produtividade face à campanha anterior (+200%)", que foi "a quarta pior das últimas três décadas".

PD // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Desconvocada greve da Groundforce marcada para 31 de julho, 1 e 2 de agosto

Lisboa, 22 jul 2021 (Lusa) -- Os sindicatos dos Técnicos de Handling de Aeroportos (STHA), das Indústrias Metalúrgicas e Afins (SIMA) e dos Economistas (SE) desconvocaram hoje a greve na Groundforce marcada para 31 de julho, 1 e 2 de agosto.

Governo avisa que a TAP vai pagar subsídios de férias diretamente aos trabalhadores da Groundforce 

A TAP vai pagar diretamente aos trabalhadores da Groundforce o valor correspondente ao subsídio de férias e às anuidades em atraso, anunciou hoje o Ministério das Infraestruturas e Habitação, em comunicado.

Governo recusou nacionalização da Groundforce para evitar "litigância"

O Governo não avançou com uma nacionalização da Groundforce para evitar "o risco de litigância" e dada a complexidade destes processos, disse hoje o ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, no parlamento.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.