Covid-19: Quase 170 milhões de infetados no mundo

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Paris, 30 mai 2021 (Lusa) -- A pandemia provocada pelo novo coronavírus já causou, pelo menos, 3.535.376 mortes, desde que a doença foi identificada na China, em dezembro de 2019, segundo um balanço da AFP até às 11:00 de hoje.

Segundo o relatório da AFP, em todo o mundo já se registaram 169.857.380 casos de infeção pelo SARS-CoV-2, que provoca a covid-19, oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia. A maioria dos pacientes recuperou, mas uma parte ainda mal avaliada, mantém sintomas por semanas ou até meses.

Os números têm por base relatórios comunicados diariamente pelas autoridades de saúde de cada país e excluem as revisões posteriores de determinados organismos estatísticos que somam um número superior de óbitos.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima, levando em consideração o excesso de mortalidade ligada direta e indiretamente à covid-19, que o balanço da pandemia pode ser duas a três vezes superior ao registado oficialmente.

Uma parte significativa dos casos menos graves ou assintomáticos também não é detetada, apesar da intensificação do rastreamento em muitos países.

No sábado, foram registados 24 horas 10.975 novas mortes e 489.154 novos casos de infeções em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de mortes num só dia foram a Índia (3.460), o Brasil (2.012) e a Colômbia (540).

Os Estados Unidos são o país mais afetado em termos de mortes e casos, com 594.306 óbitos e 33.251.982 casos, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são Brasil, com 461.057 mortes e 16.471.600 casos, Índia, com 325.972 mortes e 27.894.800 casos, México, com 223.455 mortes e 2.411.503 casos, e Reino Unido, com 127.775 mortes e 4.480.945 casos.

Entre os países mais atingidos está a Hungria, que é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 308 óbitos por 100.000 habitantes, seguida pela República Checa e Bósnia, ambos com 281, Macedónia do Norte, com 259 e Bulgária, com 254.

A Europa totalizava hoje, às 11:00, 1.133.190 mortes (52.843.007 casos), a América Latina e Caraíbas 1.033.182 mortes (32.809.364 casos), os Estados Unidos e Canadá 619.784 mortes (34.628.716 casos), a Ásia 475.921 mortes (36.133.611 casos), o Médio Oriente 142.150 mortes (8.569.871 casos), a África 130.047 mortes (4.824.253 casos) e a Oceânia 1.102 mortes (48.562 casos).

Este balanço foi realizado com base em dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e informações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Devido a correções feitas pelas autoridades, ou publicação tardia dos dados, os números do aumento nas últimas 24 horas podem não corresponder exatamente aos publicados no dia anterior.

IYN // PA

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Autoridades pró-russas anunciam vitória do “sim” à anexação em Zaporijia

As autoridades pró-Moscovo anunciaram, esta terça-feira, que os cidadãos da região ucraniana de Zaporijia, uma das quatro ocupadas pela Rússia, aprovaram a anexação à Federação Russa no referendo organizado pelo Kremlin e que decorreu nos últimos quatro dias.

Protestos no Irão continuam na 12ª noite consecutiva

Esta terça-feira os iranianos voltaram a sair às ruas em protesto contra a morte da jovem Mahsa Amini. O governo iraniano tem marcado uma posição firme contra os manifestantes mesmo com os vários apelos internacionais para terminar com o usa da força.

Ucrânia: Autoridades russas anunciam vitória ampla do "sim" em todos os referendos

As autoridades pró-Rússia nas regiões ucranianas de Zaporijia, Kherson e Lugansk reivindicaram esta terça-feira uma vitória do "sim" à anexação pela Rússia, estando ainda a aguardar-se pelos resultados da quarta região ucraniana ocupada pela Federação Russa.