Info

Covid-19: Madeira vai fazer vacinação massiva de pessoas ligadas ao turismo

| País
Porto Canal com Lusa

Funchal, Madeira, 05 mai 2021 (Lusa) -- A Madeira vai avançar na quinta-feira com a vacinação massiva de pessoas ligadas ao turismo porque as "perspetivas" são que a situação "comece a correr bem" em junho para a região, disse hoje o presidente do Governo Regional.

"Vamos fazer um esforço monumental no sentido de, ao longo deste mês, fazermos uma vacinação intensiva do pessoal ligado à hotelaria, animação turística, restauração, táxis, transportes", declarou Miguel Albuquerque à margem da visita que efetuou ao Jardim Botânico da Madeira, que foi alvo de investimentos.

O chefe do executivo madeirense de coligação PSD/CDS adiantou que este processo, que vai começar "pelo pessoal da linha da frente" do setor, deve "abranger mais de 40 mil pessoas", enunciando que cerca de 20 mil estão ligadas à hotelaria e restauração.

Um dos primeiros segmentos a ser vacinado serão os carreiros do Monte, os homens que deslizam com os tradicionais carros de cesto, um dos principais atrativos turísticos da Madeira, que reiniciaram esta semana a sua atividade.

"Temos de aguardar a decisão que o Reino Unido vai tomar em junho, mas as perspetivas [do turismo] é que comece a correr bem para a Madeira" nesse mês, apontou o governante insular.

Questionado sobre a possibilidade de alargamento das medidas restritivas delineadas para combater a pandemia da covid-19, considerou as que foram tomadas em 26 de abril e entraram em vigor às 00:00 de 02 de maio, têm corrido bem e que os "empresários e a população estão a cumprir" as regras definidas.

"Se continuarmos assim temos hipótese de ir melhorando a situação de restrição", sublinhou, ressalvando ser necessário aguardar os resultados de dois ciclos de incubação (14 dias).

O Governo da Madeira anunciou em 26 de abril alargar o recolher obrigatório para o período entre as 23:00 e as 05:00, incluindo aos fins de semana, a partir das 00:00 horas de 02 de maio.

Antes, a medida vigorava na região entre as 19:00 e as 05:00 durante a semana e entre as 18:00 e as 05:00 aos fins de semana e feriados.

Na altura, anunciou também que "residentes, estudantes e emigrantes - que entram na região por via aérea - mantêm a dupla testagem ao quinto dia, suspendendo-se a necessidade de isolamento profilático entre os dois testes".

Os restaurantes e bares passaram a poder estar abertos até às 22:00 com uma lotação até 50%, com cinco pessoas por mesa, não sendo permitido nos bares "beber ao balcão ou de pé".

Antes, a restauração, tal como as outras atividades comerciais, encerravam durante a semana às 18:00 e aos fins de semana às 17:00, sendo que o horário de entrega de refeições ao domicílio decorre até às 22:00, todos os dias.

Em relação a festas de casamentos e batizados, o Governo Regional impôs que a ocupação dos recintos corresponda a 50% da sua capacidade, medida também aplicada aos supermercados e lojas comerciais, bem como aos ginásios, onde passam a ser permitidas aulas de grupo no interior até cinco pessoas.

Por outro lado, os veículos utilizados em atividades de turismo passaram a poder transportar 100% da sua lotação, caso todos os ocupantes tenham sido vacinados ou sejam recuperados da doença covid-19, regra que também se aplica aos operadores marítimo-turísticos.

Em caso contrário, permanece o limite de dois terços da capacidade.

O último boletim epidemiológico divulgado terça-feira pela Direção Regional da Saúde indicava que na Madeira tinha sido diagnosticados 16 novos casos de infeção por SARS-CoV-2, todos de transmissão local, e mais 11 doentes recuperados.

A DRS indicou que a região contabilizava um total de 9.035 casos confirmados de covid-19, 8.697 pacientes curados desde o início da pandemia e mantinha os 71 óbitos associados à doença.

AMB // MCL

Lusa/fim

+ notícias: País

Portugal regista mais 3396 casos de Covid-19 e 20 mortes em 24h. Norte continua a piorar

Portugal registou, nas últimas 24 horas, 3.396 novos casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, e 20 mortes atribuídas à covid-19, número mais elevado de óbitos desde 10 de março, segundo a Direção-Geral da Saúde.

Taxa de incidência elevada entre 20 e 29 anos e a subir nos mais idosos

A taxa de incidência de infeções por covid-19, acumulada a 14 dias, é mais elevada entre os 20 e os 29 anos, mas o maior aumento registou-se nas pessoas com mais de 80 anos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

O efeito do observador - Centro de...