Info

PAN denuncia foco de poluição em praia da Póvoa de Varzim

PAN denuncia foco de poluição em praia da Póvoa de Varzim
| Norte
Porto Canal com Lusa

O PAN da Póvoa de Varzim, distrito do Porto, denunciou hoje um foco de poluição na praia da Estela, freguesia daquele concelho, causado pela degradação de sacos plásticos de proteção dunar, junto a um campo de golfe.

Segundo o partido, os sacos "encontram-se neste momento espalhados por todo o areal, bem como uma quantidade considerável de pregos", situação que já foi alvo de uma denúncia às autoridades ambientais por parte do PAN.

"Além do impacto ambiental que esta situação está a causar, com o plástico que está a poluir o oceano, colocando em causa os nossos ecossistemas marinhos, estamos também perante uma situação de potencial risco para pessoas e restantes animais, uma vez que se encontram espalhados pelo areal centenas de pregos que colocam em causa a integridade física", informou o PAN/Póvoa de Varzim.

Os responsáveis locais do partido exigem "uma urgente atuação das entidades competentes na limpeza da praia, bem como o apuramento de responsabilidades e explicações sobre o sucedido".

Os sacos provêm de uma proteção dunar construída pela empresa que detém o campo de golfe, devido à erosão costeira que coloca em risco a integridade de algumas zonas do equipamento.

Segundo apurou a Lusa, a Agência Portuguesa do Ambiente já entrou em contacto com a empresa "Estela Golf - Atividades Desportivas e Turísticas, S.A", instando à retirada de todos os sacos que se encontram espalhados pelo areal, bem como, de todos os sacos degradados que estejam na proteção dunar e em risco de serem arrastados.

A empresa confirmou à Lusa ter recebido uma comunicação das autoridades ambientais, na forma de um "e-mail não vinculativo", mostrando-se "surpreendida que só agora este assunto dos sacos de ráfia na praia esteja a ser levantado", lembrando que "esta proteção dunar existe na costa da Estela há mais de 3 anos".

"O Estela Golf solicitou às autoridades competentes a proteção da propriedade contra o ataque do mar e a solução técnica autorizada foi a de colocação de estacas de madeira e sacos de areia, solução que aliás existe na praia do Ofir e na Praia da Falésia, no Algarve. Portanto, o Estela Golf limita-se a cumprir com as soluções que as autoridades determinaram e a construir as mesmas, a suas próprias expensas", explicou Jorge Quintas, presidente do Grupo Nelson Quintas, que detém o equipamento.

O responsável explicou que a solução para a preservação da duna, com a colocação dos respetivos sacos e as estruturas em madeira, "não só protege a propriedade [do Estela Golf] como retém o avanço do mar, que acabaria por invadir os terrenos agrícolas que estão a nascente, numa cota inferior", reiterando que a solução foi "devidamente autorizada e controladas pelas diversas entidades competentes".

"O Estela Golfe está, neste momento, a analisar a comunicação apenas recebida e atuará em conformidade e coordenação com as autoridades competentes e dentro da responsabilidade que lhe é inerente", garantiu Jorge Quintas.

O campo de Golfe da Estela foi construído há mais de 30 anos, junto à praia local, na altura através uma imposição governamental por compensação à concessão da zona de jogo da Póvoa de Varzim.

+ notícias: Norte

Homem colhido mortalmente por comboio em Famalicão

Um homem foi hoje colhido mortalmente por um comboio em Calendário, Vila Nova de Famalicão, disse fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Braga.

Arrendamento de escritórios cai 17% no Grande Porto em 2020

As áreas arrendadas para escritórios em 2020 diminuíram 29% na Grande Lisboa e 17% no Grande Porto, prevendo a Cushman & Wakefield uma manutenção do abrandamento da procura este ano, com "início de recuperação" no segundo semestre.

Trabalhadores da StatusVoga de novo em protesto por salários em atraso

Os funcionários da empresa que explora cantinas do Instituto Politécnico do Porto (IPP), a StatusVoga, manifestaram-se novamente contra os salários em atraso em frente ao IPP, na manhã desta terça-feira, apurou o Porto canal no local. “Os salários não aparecem, é uma situação insustentável” afirma uma das funcionárias presentes no protesto.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Zoom Zoom Z o o m