Info

Pescadores do Norte param atividade em protesto contra “fiscalizações excessivas”

Pescadores do Norte param atividade em protesto contra “fiscalizações excessivas”
| Norte
Porto Canal

Os pescadores da faixa litoral norte de Viana do Castelo à Figueira da Foz vão na quarta-feira parar a atividade em protesto com a "excessiva fiscalização" de que têm sido alvo, informou hoje a associação Apropesca.

Indicando a paragem de cerca de 1500 pescadores, Carlos Cruz, presidente desta organização de produtores de pesca artesanal, com sede na Póvoa de Varzim, distrito do Porto, disse que as embarcações da região Norte têm sido, no último mês, frequentemente abordadas pelas autoridades para um controlo das condições de trabalho, com uma abrangência que tem causado desagrado.

"Tem havido uma fiscalização excessiva por situações que já não estávamos habituados. Na mesma semana, há embarcações controladas duas ou três vezes, para ver os documentos e fiscalizar horários, tripulantes e material, o que perturba a atividade", explicou à Agência Lusa o dirigente.

Carlos Cruz lembrou que muitas das situações que são alvo das fiscalizações estão ainda ser negociadas pelas associações do setor com a Direção-Geral dos Recursos Marítimos, e que, atualmente, os armadores estão a ser multados por "lacunas do Governo".

"Não podemos continuar assim, e por isso decidimos que a partir da meia-noite de quarta-feira parar e às 9:00 estaremos reunidos no Porto de Pesca da Póvoa de Varzim para mostrar o nosso desagrado", acrescentou.

Segundo o dirigente, a paragem vai abranger mais de uma centena de embarcações, e cerca de 1500 pescadores de Viana do Castelo até à Figueira da Foz.

O presidente da Apropesca disse ter conhecimento que, na sequência de uma reunião entre Direção-Geral dos Recursos Marítimos, a Autoridades das Condições de Trabalho e a Unidade de Controlo Costeiro da GNR, as fiscalizações irão ser suspensas e reavaliadas, mas garantiu que a paragem só será desconvocada quando tal for formalizado.

"Só essa informação não chega para o nosso pessoal. Queremos que seja o Governo a esclarecer toda a situação. Está previsto que quarta-feira a Secretária de Estado da Pescas venha às instalações da Apropesca prestar esclarecimentos. Se agradar ao setor voltamos ao mar, caso contrário ficaremos parados mais tempo", garantiu Carlos Cruz.

Neste protesto, além da Apropesca estarão também envolvidas a Associação de Armadores de Pesca do Norte, a Cooperativa Viana Pesca, a Associação Pró Maior Segurança dos Homens do Mar e sindicatos representativos do setor.

+ notícias: Norte

Homem colhido mortalmente por comboio em Famalicão

Um homem foi hoje colhido mortalmente por um comboio em Calendário, Vila Nova de Famalicão, disse fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Braga.

Arrendamento de escritórios cai 17% no Grande Porto em 2020

As áreas arrendadas para escritórios em 2020 diminuíram 29% na Grande Lisboa e 17% no Grande Porto, prevendo a Cushman & Wakefield uma manutenção do abrandamento da procura este ano, com "início de recuperação" no segundo semestre.

Trabalhadores da StatusVoga de novo em protesto por salários em atraso

Os funcionários da empresa que explora cantinas do Instituto Politécnico do Porto (IPP), a StatusVoga, manifestaram-se novamente contra os salários em atraso em frente ao IPP, na manhã desta terça-feira, apurou o Porto canal no local. “Os salários não aparecem, é uma situação insustentável” afirma uma das funcionárias presentes no protesto.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Zoom Zoom Z o o m