Info

Barcelos suprime quatro perigosas passagens de nível com investimento de 1,1 ME

| Norte
Fonte: Agência Lusa

Barcelos, 13 mai (Lusa) - A Refer consignou, por 1,1 milhões de euros, a empreitada de construção de três passagens desniveladas ao caminho-de-ferro no concelho de Barcelos, que permitirão a supressão de quatro perigosas passagens de nível sem guarda, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a Rede Ferroviária Nacional especificou que em causa está a construção de uma passagem inferior rodoviária na União das Freguesias de Barcelos, Vila Boa e Vila Frescainha (São Martinho e São Pedro), uma passagem inferior de peões na freguesia de Abade de Neiva e uma passagem superior agrícola na União das Freguesias de Tamel (Santa Leocádia) e Vilar do Monte, bem como os respetivos restabelecimentos de acesso.

Estas intervenções viabilizarão a supressão de quatro passagens de nível "que apresentam risco elevado, devido às velocidades praticadas no troço e às reduzidas condições de visibilidade no avistamento dos comboios".

A empreitada tem um prazo de execução de 180 dias.

Esta é mais uma ação inscrita no Plano de Supressão e Reclassificação de Passagens de Nível que a Refer tem em curso desde 1999, e que já permitiu suprimir mais de 65 por cento daquelas travessias.

O mesmo plano permitiu ainda melhorar as condições de segurança em cerca de 700 das passagens de nível que subsistem.

No total, o investimento ascende a 350 milhões de euros.

VCP // JGJ

Lusa/fim

+ notícias: Norte

Reportagem: 99 anos de Coelima: que futuro?

99 anos de Coelima: que futuro?

Metro do Porto reduz operação na noite de São João devido às limitações impostas pela pandemia de covid-19

A Metro do Porto revelou hoje que a operação na noite de São João, de quarta para quinta-feira, será reduzida e que, devido às limitações impostas pela pandemia de covid-19, não haverá reforço de horários como em anos anteriores.

Diretor do Parque Natural do Tua diz que as Comunidades Intermunicipais "rebentaram" com a identidade territorial das regiões

O diretor do Parque Natural Regional do Vale do Tua, Artur Cascarejo, considerou hoje que a criação das Comunidade Intermunicipais (CIM) foi um processo "irracional" que "rebentou" com a identidade territorial das regiões.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.