Info

Covid-19: Hospitais do Centro continuam a aumentar número de camas

| País
Porto Canal com Lusa

Coimbra, 22 jan 2021 (Lusa) - Os hospitais da região Centro voltaram a aumentar a vagas em enfermaria para doentes da covid-19, totalizando agora 1.267 camas, disse hoje à agência Lusa fonte da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC).

Na quinta-feira, foram abertas mais 41 camas na região, de acordo com aquele organismo, embora tenham sido internadas em enfermarias mais 47 pessoas.

No entanto, no mesmo período 82 pessoas em enfermaria tiveram alta hospitalar e duas em unidades de cuidados intensivos, fazendo baixar o número total de internados de 1.396 para 1.322.

O número de internados em unidades de cuidados intensivos não sofreu alteração, registando os mesmos 121 de quarta-feira.

Os óbitos em ambiente hospitalar também baixaram relativamente a quarta-feira, passando de 49 para 28.

Segundo a ARSC, no final do dia de quinta-feira os hospitais da região Centro dispunham de 1.267 camas ativas em enfermaria e 136 em unidades de cuidados intensivos, com uma taxa de ocupação de 95% e 89%, respetivamente.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.092.736 mortos resultantes de mais de 97,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.920 pessoas dos 609.136 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

AMV // JEF

Lusa/Fim

+ notícias: País

Portugal regista mais 2898 casos de Covid-19 e mais 13 mortes nas úlltimas 24h

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 2.898 casos confirmados de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 e 13 mortes atribuídas à covid-19, bem como mais 75 pessoas internadas com a doença, segundo a Direção-Geral da Saúde.

Portugueses retidos em Marrocos pedem voo de repatriamento 

Depois do fecho das fronteiras de Marrocos, várias dezenas de portugueses ficam retidos e, segundo apurou o Porto Canal, pedem um voo de repatriamento. Em declarações ao Porto Canal, os portugueses retidos tentam encontrar soluções, mas muitas delas com custos insuportáveis.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.