Info

Covid-19: Costa pede unidade e defende que não é momento para luta político-partidária

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 18 jan 2021 (Lusa) - O primeiro-ministro recusou-se hoje a responder às críticas das forças da oposição em relação à estratégia de combate à covid-19, contrapondo que este não é o momento para a "luta político-partidária" e que se exige unidade.

António Costa assumiu esta posição em conferência de imprensa, em São Bento, após ter anunciado um conjunto de "clarificações" a algumas normas há cinco dias decretadas pelo Governo relativas a restrições à circulação de pessoas., mas também um alargamento do âmbito de medidas combate à covid-19.

Confrontado com as críticas de partidos da oposição, designadamente o PSD, em relação à linha seguida pelo Governo para a prevenção do aumento da epidemia em Portugal, o primeiro-ministro respondeu que "não iria desgastar a energia dos portugueses no combate político-partidário".

"Este não é o momento do combate político-partidário, mas de unidade nacional para fazermos frente à pandemia. Este é um momento em que todos se têm de concentrar no essencial - e eu não me vou distrair daquilo que é o essencial e o meu dever", declarou.

Perante os jornalistas, o primeiro-ministro manteve a tese de que, "até ao limite das forças", o Governo "tudo fará para perturbar o mínimo possível o mínimo possível a vida dos portugueses, a vida das empresas e colocar em causa os postos de trabalho".

"Mas também não hesitaremos em adotar todas as medidas que as circunstâncias impuserem. Aquilo que fará depender a necessidade ou não de reforçar ainda mais o quadro [de restrições] é a forma como a pandemia evoluir. E a pandemia evoluirá na estrita medida do comportamento que cada um de nós tiver", sustentou.

PMF // SF

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Lei Autárquica: autarcas independentes querem a extinção da CNE 

Os presidentes de câmara eleitos em grupos de cidadãos querem a extinção da Comissão Nacional de Eleições. Segundo os autarcas independentes a CNE está a discriminar os movimentos independentes em relação aos partidos.

Operação Marquês: PR diz que "não pode nem deve comentar o que diz respeito ao poder judicial"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, escusou-se hoje a fazer qualquer comentário à decisão instrutória do processo relativo à Operação Marquês, considerando "não pode nem deve comentar o que diz respeito ao poder judicial".

Marcelo concorda com Costa sobre falta de poderes da EMA nas vacinas

O Presidente da República concordou hoje com o primeiro-ministro sobre a necessidade de a Agência Europeia de Medicamento (EMA) ter mais poder para que cada estado não tenha uma posição diferente sobre vacinas contra a covid-19.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

Zoom Zoom Z o o m