Info

Júlio Magalhães sai do Porto Canal

Júlio Magalhães sai do Porto Canal
| Norte
Porto Canal

O Conselho de Administração da Avenida dos Aliados, detentora do Porto Canal, disse em comunicado que Júlio Magalhães deixou o Porto Canal passando dois dos membros da Administração a exercer funções executivas no Porto Canal: Manuel Tavares como Administrador Executivo e Francisco De La Fuente como Diretor de Programas de Entretenimento.

Veja o Comunicado:

O Conselho de Administração da Avenida dos Aliados SA vem comunicar a saída de Júlio Magalhães do canal, agradecendo, desde já, o modo como desempenhou o cargo de Diretor Geral, permitindo que o Porto Canal possa abrir uma nova etapa na sua história de 14 anos. Neste sentido, informa que dois dos membros do Conselho de Administração da Avenida dos Aliados SA passam a exercer funções executivas no Porto Canal: Manuel Tavares como Administrador Executivo e Francisco De La Fuente como Diretor de Programas de Entretenimento.

Estas alterações obedecem a um reposicionamento do Canal a partir da singularidade de que desfruta por ser a única estação televisiva de âmbito nacional a emitir a partir do Porto.

A Direção de Informação do Porto Canal permanece a cargo de Tiago Girão.

 

O Conselho de Administração

da Avenida dos Aliados, SA

+ notícias: Norte

Rui Moreira toma hoje posse para terceiro e último mandato no Porto

O independente Rui Moreira toma hoje posse para o terceiro e último mandato como presidente da Câmara Municipal do Porto e, após ter vencido as autárquicas de setembro sem maioria absoluta, estabeleceu um acordo de governação com o PSD.

Trabalhadores das cantinas do Instituto Politécnico do Porto protestam pela reabertura das empresas

Os trabalhadores das cantinas do Instituto Politécnico do Porto, protestaram pela reabertura das empresas, na passada terça-feira. Em declarações ao Porto Canal, os trabalhadores mostram-se "muito preocupados" porque "não se encontram no desemprego e é difícil suportar todas as despesas no dia a dia".

Militares trabalham num posto da GNR de Matosinhos em perigo de ruína

Cerca de 70 militares trabalham num posto da GNR de Matosinhos em perigo de ruína. Em declarações ao Porto Canal, César Nogueira da Associação de Profissionais da Guarda, espera que "o Ministério da Administração Interna não esteja à espera que aconteça uma tragédia para se resolver a situação da degradação do edifício".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.