Covid-19: Europa ultrapassa 20 milhões de casos

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Redação, 08 dez 2020 (Lusa) -- A Europa identificou mais de 20 milhões de casos do novo coronavírus desde o início de 2020, de acordo com uma contagem feita pela AFP a partir de relatórios fornecidos hoje pelas autoridades de saúde.

Os 52 países da região constituem a área mais afetada do mundo em número de casos, à frente dos Estados Unidos e Canadá (15,4 milhões de casos) e da América Latina (13,6 milhões).

No total, mais de 67 milhões de casos de Covid-19 foram detetados em todo o mundo desde o início da pandemia.

De acordo com a AFP, nos últimos sete dias, a Europa registou quase 40% de todos os novos casos detetados no mundo, mas a progressão do vírus parece estar a estabilizar, com uma queda de 2% dos casos em relação à semana anterior.

Cerca de 236.000 novos casos diários, em média, foram registados nos últimos sete dias no continente europeu.

Portugal contabiliza hoje mais 81 mortes relacionadas com a covid-19 e 2.905 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim diário da Direção Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 5.122 mortes e 327.976 casos de infeção pelo novo coronavírus, estando hoje ativos 70.426 casos, número que voltou a níveis de há um mês.

PM // HB

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

NASA envia nave para alterar trajeto de asteroide

A NASA, agência espacial norte-americana, vai enviar a sua nave DART numa missão para colidir com um asteróide, no primeiro teste de uma técnica que pode um dia ser necessária para desviar um objeto espacial que ameace colidir com a Terra.

Comissário da Economia insta novo governo italiano a cumprir acordo de Draghi

O comissário europeu de Economia, Paolo Gentiloni, instou esta segunda-feira o futuro Gobierno italiano a respeitar o plano de recuperação acordado entre as autoridades comunitárias e o Executivo de Mario Draghi.

Pelo menos 75 mortos na repressão das manifestações no Irão

Pelo menos 75 pessoas já foram mortas no Irão na repressão das manifestações iniciadas há dez dias pela morte de uma jovem mulher detida pela polícia da moralidade, indicou hoje a ONG anti-regime Iran Human Rights (IHR), sediada em Oslo.