Info

Mau Tempo: Proteção civil registou 144 ocorrências até às 12:00

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 04 dez 2020 (Lusa) - A Proteção Civil registou, entre as 00:00 e as 12:00 de hoje, 144 ocorrências, a maioria relacionadas com a queda de árvores e neve, na sequência da passagem da depressão Dora, que está a afetar Portugal continental.

Em declarações à agência Lusa, o comandante da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) Carlos Pereira avançou que, das 144 ocorrências, 68 foram relacionadas com queda de árvores e 48 de desobstrução de vias devido à neve.

Os distritos mais afetados foram Vila Real, Viseu, Coimbra e Leiria, referiu.

A maior parte das ocorrências registaram-se entre as 09:00 e as 12:00, hora em que "as pessoas começaram a sair de casa" e a ir para o trabalho.

Até às 09:00, a Proteção Civil tinha registo de 44 ocorrências, a maioria também relacionadas com a queda de árvores e de neve, de acordo com um balanço anterior feito à Lusa.

Segundo Carlos Pereira, nas últimas horas a situação tem estabilizado e "pouco mais tem havido".

O comandante notou também que as estradas de acesso ao maciço central da Serra da Estrela continuam encerradas devido à queda de neve.

Carlos Pereira renovou ainda o apelo para que a população evite "circular perto da orla costeira", devido à agitação marítima.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou sob aviso vermelho, o mais grave de uma escala de quatro, os distritos de Lisboa e Leiria devido à previsão de agitação marítima forte na sequência dos efeitos da depressão Dora em Portugal continental.

Estes dois distritos vão estar sob aviso vermelho, o mais grave de uma escala de quatro, entre as 12:00 e as 21:00 de hoje por causa da agitação marítima, prevendo-se ondas de noroeste com 7 a 8 metros de altura significativa, podendo atingir 14 metros de altura máxima.

O aviso vermelho corresponde a uma situação meteorológica de risco extremo. Nesta situação, o IPMA recomenda que as pessoas se mantenham ao corrente da evolução das condições meteorológicas e sigam as orientações da proteção civil.

Por causa da agitação marítima forte, o IPMA colocou também a costa dos distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Setúbal, Beja e Faro, o norte da Madeira e Porto Santo sob aviso laranja até às 00:00 de domingo.

O mau tempo que se vai fazer sentir no continente, pelo menos, até sábado surge na sequência da passagem em Portugal continental da depressão Dora, que vai trazer também vento forte, precipitação, neve e descida da temperatura.

O IPMA emitiu um aviso amarelo para os distritos de Braga, Vila Real, Viana do Castelo, Porto, Bragança, Viseu, Guarda, Castelo Branco devido à queda de neve acima de 1.400/1.600 metros, descendo gradualmente a cota para 700/900 metros, até às 06:00 de domingo.

Sob aviso amarelo (menos grave) estão ainda os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda e Castelo Branco devido à previsão de vento forte de noroeste, com rajadas até 95 quilómetros por hora nas terras altas até às 06:00 de sábado.

O aviso laranja indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

TYS (DD) // MCL

Lusa/Fim

+ notícias: País

Portugal sem registo de mortes nas últimas 24 horas por Covid-19. 450 novos infetados

Portugal voltou hoje a não ter registo de mortes por covid-19, tendo sido notificados 450 novos casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, uma redução nos internamentos em enfermaria e um aumento nos cuidados intensivos.

Transparência e Integridade exige explicações do Governo ao processo a funcionário do fisco

Transparência e Integridade exige explicações do Governo ao processo a funcionário do fisco

Uma morte, 436 novos casos e nova redução nos internamentos nas últimas 24 horas por Covid-19

Portugal registou hoje uma morte atribuída à covid-19, 436 novos casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, continuando a verificar-se uma diminuição nos internamentos, mas mais casos ativos, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.
Zoom Zoom Z o o m