Info

Covid-19: Índia com 485 mortos e 41.322 casos nas últimas 24 horas

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Nova Deli, 28 nov 2020 (Lusa) - A Índia registou 485 mortos por covid-19 e 41.322 casos da doença nas últimas 24 horas, segundo os dados do Ministério da Saúde indiano.

Desde o início da pandemia, a Índia contabilizou mais de 9,3 milhões de casos do novo coronavírus (9.351.109), mantendo-se como o segundo país com mais infeções, atrás dos Estados Unidos.

Com 136.200 mortes desde o início da pandemia, a Índia é o terceiro país do mundo com mais óbitos, a seguir aos Estados Unidos e Brasil, segundo a contagem da Universidade Johns Hopkins.

O país tem atualmente 454.940 casos ativos da doença.

Num esforço para impedir a propagação do vírus, o Ministério do Interior permitiu aos estados impor restrições locais como o recolher obrigatório nocturno, mas pediu-lhes que consultassem o Governo central antes de impor bloqueios a nível estadual, distrital ou municipal.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.433.378 mortos resultantes de mais de 60,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

MIM // MIM

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Cientistas descobrem anticorpos que podem neutralizar as variantes da Covid-19

Uma equipa internacional de cientistas descobriu anticorpos que podem neutralizar as variantes da Covid-19, incluindo esta última variante Ómicron, um estudo que foi desenvolvido por cientistas da Escola de Medicina da Universidade de Washington, nos EUA

Pfizer aprova o primeiro comprimido contra a doença

A autoridade norte-americana da saúde, a Food and Drug Administration, aprovou esta quinta-feira o uso do comprimido da Pfizer contra covid-19, o primeiro tratamento oral nos EUA para combate à doença

ONU exige libertação imediata de navio dos EAU apreendido por rebeldes no Iémen

Nações Unidas, Nova Iorque, 14 jan 2022 (Lusa) -- O Conselho de Segurança da ONU exigiu hoje a "libertação imediata" do navio dos Emirados Árabes Unidos (EAU) confiscado no início deste mês pelos rebeldes Huthis, bem como da respetiva tripulação, indicaram fontes diplomáticas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.