Info

Covid-19: Açores com 25 novos casos e 12 recuperações nas últimas 24 horas

| País
Porto Canal com Lusa

Ponta Delgada, Açores, 19 nov 2020 (Lusa) -- As 1.473 análises realizadas nas últimas 24 horas nos dois laboratórios de referência dos Açores diagnosticaram 25 casos positivos de covid-19, 12 em São Miguel e 13 na ilha Terceira, e há ainda 12 recuperações a registar.

A informação consta do boletim diário de hoje da Autoridade de Saúde Regional, acrescentando que as recuperações de doentes ocorreram uma na ilha de Santa Maria, sete na ilha de São Miguel, uma na ilha Terceira e três na ilha de São Jorge.

Deste modo, o total de casos recuperados ascende a 372.

A região "conta agora com 14 cadeias de transmissão extintas e 15 cadeias de transmissão ativas, sendo nove na ilha de São Miguel, quatro na ilha Terceira, uma partilhada entre a ilha de São Miguel e a ilha de São Jorge e uma na ilha de São Jorge", de acordo com a Autoridade de Saúde dos Açores.

Até ao momento, foram detetados nos Açores 704 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19.

Há atualmente 372 casos recuperados e 239 casos positivos ativos, dos quais 190 na ilha de São Miguel, 43 na ilha Terceira, três na ilha de São Jorge, um na ilha do Pico e dois na ilha do Faial.

Desde o começo da pandemia morreram 16 pessoas na região com covid-19, todas em São Miguel.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.350.275 mortos resultantes de mais de 56,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.632 pessoas dos 236.015 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

APE // MCL

Lusa/fim

+ notícias: País

Testes rápidos de antigénio de uso profissional continuam gratuitos em fevereiro

Os testes rápidos de antigénio de uso profissional vão continuar a ser comparticipados no mês de fevereiro, tendo em conta a atual situação epidemiológica do coronavírus SARS-CoV-2, segundo uma portaria publicada hoje em Diário da República.

Miocardite por infeção é 60 vezes mais frequente do que após vacina contra a Covid-19

A miocardite por infeção com SARS-CoV-2 é 60 vezes mais frequente do que após a vacinação e pode ter sintomas mais graves e complicações e sequelas a curto prazo, refere um parecer técnico hoje divulgado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.