Info

Covid-19: Maia prepara estrutura de retaguarda com 45 camas em unidade hoteleira 

Covid-19: Maia prepara estrutura de retaguarda com 45 camas em unidade hoteleira 
| Norte
Porto Canal com Lusa

A Câmara da Maia anunciou hoje a criação de uma estrutura de retaguarda com 45 camas para acolher pessoas infetadas ou em isolamento profilático, medida que faz parte de um pacote de 12 ações dedicadas ao combate à covid-19.

Esta estrutura de retaguarda será instalada numa unidade hoteleira da Maia, no distrito do Porto, e será “de âmbito municipal ou outro”, conforme se lê no comunicado enviado à agência Lusa.

“[Servirá] para eventual necessidade de alojamento de pessoas em isolamento profilático ou em situação de infeção confirmada da doença covid-19 que, face à avaliação clínica, não determine a necessidade de internamento hospitalar”, descreve a autarquia da Maia.

O local não foi revelado e a reserva das 45 camas inclui refeições.

Esta é uma das 12 medidas de combate à pandemia que foram aprovadas em reunião de câmara, na segunda-feira, e que, no total, totalizam um investimento a rondar os 640 mil euros.

“As 12 medidas são tomadas em articulação com a Administração Regional do Norte (ARS-N), o ACES [Agrupamento de Centros de Saúde] Maia/Valongo, a Saúde Pública Local e o Instituto de Segurança Social, na sequência do agravamento da situação epidémica”, refere a câmara da Maia.

Já a desativada Escola do Príncipe da Beira, localizada em Gueifães, vai acolher uma Área dedicada aos Doentes Respiratórios (ADR), medida resultante de um acordo com a ARS-N.

A autarquia liderada por António Silva Tiago também anunciou que será “prestado o apoio logístico com meios humanos e técnicos para o alargamento temporário da Unidade de Saúde Pública da Cidade da Maia”.

“Dos três centros de testes rápidos de antigénios para o SARS-CoV-2, que em 15 minutos permite saber se estão ou não infetados com o novo coronavírus, um destina-se à população em geral e resulta de um protocolo com a Cruz Vermelha Portuguesa, e dois ficam à disposição das empresas”, descreve também a autarquia.

Já a Linha Verde Institucional covid-19 será alargada aos sete dias da semana e será instalada uma central de atendimento gratuita para utentes das Unidades de Saúde Familiar do concelho.

Soma-se a disponibilização de técnicos superiores para auxílio nos rastreios epidemiológicos, bem como viaturas e técnicos para reforço das equipas de intervenção rápida.

“O município vai ainda promover campanhas de sensibilização sobre boas práticas de saúde pública destinadas a todos os cidadãos”, concluiu a autarquia.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.319.561 mortos resultantes de mais de 54,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.472 pessoas dos 225.672 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

+ notícias: Norte

Enfermeiros reivindicam agendamento de uma data de reunião com o governo 

Os enfermeiros, reivindicam, durante a manhã desta terça-feira, no Porto, o agendamento de  uma data de reunião com o governo para a concretização de melhores condições de trabalho para os enfermeiros. Em declarações ao Porto Canal, José Carlos Martins, do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, disse que "as principais reivindicações deste protesto vão desde o assunto da progressão das carreiras, melhores condições, e ainda o agendamento da reunião".

Responsáveis do Lar do Comércio em Matosinhos acusados por 67 crimes de maus-tratos

O Ministério Público (MP) imputou 67 crimes de maus-tratos, 17 deles agravados por resultarem em morte, a um ex-presidente e uma directora de serviços do Lar do Comércio, em Matosinhos.

Associação de Vila d'Este distribui cabazes alimentares aos mais carenciados em Vila Nova de Gaia

A Associação de Vila d'Este, em Vila Nova de Gaia, distribui cabazes alimentares aos mais carenciados, mais precisamente cerca de 600 pessoas e 116 agregados familiares. Em declarações ao Porto Canal, a voluntária, Júlia Ferraz, disse que "com a pandemia, o desemprego e as crianças em casa os agregados familiares duplicaram". 

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS