Covid-19: China soma 18 novos casos, todos oriundos do exterior

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Pequim, 14 nov 2020 (Lusa) - A Comissão de Saúde da China anunciou hoje ter identificado 18 casos novos de covid-19 nas últimas 24 horas, mais dez que no dia anterior, todos oriundos do exterior.

Os 18 casos "importados" foram diagnosticados em Cantão (sudeste, 7), Xangai (este, 5), Tianjin (nordeste, 2), Liaoning (nordeste, 2), Fujian (sudeste, 1) e Shaanxi (centro, 1).

As autoridades chinesas disseram que, nas últimas 24 horas, 24 pacientes receberam alta, pelo que o número de pessoas infetadas ativas no país se fixou em 388, incluindo três doentes em estado grave.

A Comissão de Saúde da China não anunciou novas mortes devido à covid-19, pelo que o número permaneceu em 4.634.

O país somou, no total, 86.325 infetados desde o início da pandemia, dos quais 81.303 recuperaram da doença.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.294.539 mortos em mais de 52,7 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 3.250 pessoas dos 204.664 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

PTA (JPI) // PTA

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

EUA reforçam ajuda militar a Kiev com 800 milhões de dólares

Os Estados Unidos (EUA) vão reforçar a ajuda militar à Ucrânia em quase 800 milhões de dólares (797 milhões de euros), disponibilizando pelo menos uma dúzia de 'drones' de vigilância Scan Eagle, segundo autoridades norte-americanas.

Ucrânia: Preço do gás com novo máximo devido a paragem anunciada no Nord Stream

O preço do gás europeu continuou esta sexta-feira a aumentar atingindo um novo recorde no encerramento, depois de ter sido anunciado que o fornecimento de gás através do gasoduto Nord Stream será interrompido durante três dias.

Monkeypox: EMA autoriza nova técnica para administrar vacina

A Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês) aprovou, esta sexta-feira, a administração da vacina Imvanex de forma intradérmica (na pele). Até ao momento, a vacina estava apenas autorizada para injeção subcutânea (debaixo da pele). Como o novo método, será possível imunizar mais pessoas contra a também chamada varíola dos macacos.