Info

Covid-19: Costa defende que se avalie o quadro constitucional e legal no fim da pandemia

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 02 nov 2020 (Lusa) - O primeiro-ministro defendeu hoje que se deve reavaliar o quadro constitucional e legal no fim da pandemia de covid-19 e em função disso eventualmente alterar leis como a de proteção civil ou até a Constituição.

Após ter sido recebido pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no Palácio de Belém, em Lisboa, António Costa foi questionado se o Governo estava a ponderar uma alteração da lei que institui um sistema de vigilância de saúde pública ou outra iniciativa legislativa para, a prazo, poder adotar medidas de resposta à covid-19 sem recurso ao estado de emergência.

"Com o senhor Presidente da República temos abordado essa questão e temos convergido, aliás, no entendimento, que julgo partilhado pela generalidade dos partidos políticos, de que devemos aguardar pelo final da pandemia para fazer uma avaliação do conjunto do quadro constitucional e legal de exceção, das exceções constitucionais e legais", respondeu o primeiro-ministro.

Segundo António Costa, para já, os decisores políticos devem "trabalhar com as ferramentas jurídicas que já existem".

"E depois, chegados ao fim, com toda a serenidade, fazer uma reavaliação do conjunto destas matérias, que pode exigir não só alterações nessa lei, como na Lei de Bases da Proteção civil, como até quem sabe na própria Constituição. Portanto, deixemos terminar a pandemia para depois tratarmos do quadro legislativo", acrescentou.

IEL // JPS

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Rui Moreira absolvido no processo Selminho

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, foi hoje absolvido no processo Selminho, no qual estava acusado de prevaricação por favorecer a imobiliária da família, de que era sócio, em detrimento do município portuense.

Francisco Rodrigues dos Santos: "Apelo aos Portugueses que saibam que nenhum voto no CDS será desperdiçado" 

Francisco Rodrigues dos Santos, Presidente do CDS-PP, esteve na manhã desta sexta-feira, naquele que é o sexto dia de campanha eleitoral, no Mercado do Bolhão, no Porto, junto dos comerciantes e, em declarações à comunicação social, apela aos "Portugueses que saibam que nenhum voto no CDS será desperdiçado", referindo que "as pessoas que votarem no CDS podem ter a certeza que esses votos, esses deputados que elegemos, vão formar uma nova maioria direita contra António Costa e a extrema esquerda".

A caminho da decisão: Habitantes de Joane dividem-se entre o PS e o Chega

Os habitantes de Joane, freguesia de Vila Nova de Famalicão, mostraram-se, em declarações ao Porto Canal, dividos entre o PS e o Chega, sendo que nas últimas Legislativas em 2019 deram a vitória ao PS com 37,6%, com o PSD a perder votos, obtendo 31,6%. 

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS