Covid-19: Angola com mais 227 casos e uma morte nas últimas 24 horas

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Luanda, 28 out 2020 (Lusa) -- Angola registou 227 infeções pelo novo coronavírus e uma morte nas últimas 24 horas, anunciou hoje o responsável para a Saúde Pública de Angola, Franco Mufinda, totalizando o país 9.871 infetados e 271 mortos desde o início da pandemia.

Os novos casos foram detetados nas províncias de Luanda (155), Namibe (37), Malange (18), Benguela (14) e Huíla (03), tendo idades compreendidas entre 01 e 81 anos, afirmou o secretário de Estado durante o balanço epidemiológico diário para atualização dos dados relativos à covid-19.

Destes, 141 são do sexo masculino e 86 do sexo feminino.

A vítima mortal tinha 68 anos de idade.

O secretário de Estado Franco Mufinda acrescentou que há mais 117 recuperações face aos dados apresentados na segunda-feira, tendo 115 sido registadas em Luanda e as outras duas em Benguela.

Angola contabiliza um total de 9.871 infetados, com 3.647 recuperados, 271 óbitos e 5.356 doentes ativos, incluindo 14 em estado crítico, 31 graves, 135 moderados e 417 leves.

Nas últimas 24 horas foram processadas 1.604 amostras, num total acumulado de 148.883 amostras processadas.

Em declarações à Televisão Pública de Angola (TPA), Franco Mufinda confirmou a existência de infetados entre os manifestantes em julgamento por crimes de desobediência civil.

"Nós confirmamos, de facto, que há sim uma pessoa infetada entre os detidos e, nesse grupo que aceitou testar, houve um pedido voluntário" que pediu para ser testado, tendo tido também um resultado positivo na despistagem à covid-19.

"Temos duas pessoas, pelo menos, na ocorrência de dia 25 (...), sendo que um faz parte dos detidos", apontou o secretário de Estado angolano.

Segundo a mesma fonte, dos mais de cem detidos, após a manifestação de sábado, em Luanda, apenas 74 foram testados à covid-19, com 30 destes a recusarem fazer o teste, alegando manipulação dos resultados.

Em África, há 41.609 mortos confirmados em mais de 1,7 milhões de infetados em 55 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

Angola é o país africano com o português como língua oficial com mortos devido à covid-19: regista 271 óbitos e 9.871 casos, seguindo-se Cabo Verde (94 mortos e 8.472 casos), Moçambique (89 mortos e 12.273 casos), Guiné Equatorial (83 mortos e 5.083 casos), Guiné-Bissau (41 mortos e 2.413 casos) e São Tomé e Príncipe (15 mortos e 941 casos).

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 43,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

JYO // JH

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

França rejeita a construção de gasoduto que liga Península Ibérica ao resto da Europa

França está contra as intenções mostradas pela Alemanha, Espanha, Portugal e a Comissão Europeia sobre a construção de um novo gasoduto com a Península Ibérica e mantém as suas fortes reticências à ideia de reavivar o projeto MidCat pelos Pireneus catalães, que se abandonou em 2019.

Depois da vaga de calor, chuvas torrenciais inundam ruas de Paris 

Após semanas de calor, a chuva caiu com grande intensidade em Paris durante 90 minutos. De acordo com os serviços meteorológicos, em hora e meia registou-se "70% da precipitação habitual para um mês". Várias ruas, avenidas e estações de metro ficaram inundadas e a circulação rodoviária foi interrompida em vários pontos da capital gaulesa. 

Guterres aponta estabilização de preços de alimentos e pede desmilitarização de Zaporijia

O secretário-geral das Nações Unidas (ONU), António Guterres, identificou esta quinta-feira sinais de estabilização dos mercados globais de alimentos e pediu, após uma reunião com os presidentes ucraniano e turco, a desmilitarização da central nuclear de Zaporijia, sob ocupação russa.