Covid-19: Recuperação económica dos EUA pode falhar sem mais apoios

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Redação, 06 out 2020 (Lusa) -- O apoio financeiro do Governo dos Estados Unidos e da Reserva Federal (Fed) impulsionaram uma recuperação sólida da recessão da pandemia, mas o processo pode falhar se não houver apoios adicionais, disse hoje o presidente da instituição, Jerome Powell.

Citado pela Associated Press (AP), Powell referiu que o apoio do Governo, incluindo subsídios de desemprego mais alargados, pagamentos diretos às famílias e apoios a negócios de menor dimensão, preveniu, para já, "uma espiral descendente" em que a perda de empregos levaria a uma queda nos gastos dos consumidores, gerando, por sua vez, mais cortes de postos de trabalho.

Ainda assim, Jerome Powell avisou que a economia americana enfrenta ameaças e que, sem mais apoios, pode voltar a cair.

O processo "está longe de estar concluído", alertou hoje num discurso para um grupo de economistas.

"Pouco apoio pode levar a uma retoma fraca, criando problemas desnecessários para os negócios e as famílias. Ao longo do tempo, as insolvências iriam aumentar, prejudicando a capacidade produtiva da economia e impedindo o crescimento de salários", salientou.

Powell notou que a recuperação económica abrandou nos últimos meses, em comparação com maio e junho, tendo, no geral, recuperado apenas pouco mais de metade dos empregos perdidos em março e abril.

O presidente da Fed defendeu que um abrandamento prolongado na recuperação pode gerar "dinâmicas típicas de recessão", recordando ainda que a crise da covid-19 prejudicou de forma "desproporcional" os serviços que envolvem mais contacto, sobretudo restaurantes bares, agências e viagens, cinemas e outros.

Este impacto gerou milhões de desempregados no país. "A medida certa é apoiar estas pessoas" enquanto não encontram novos empregos ou regressam aos antigos, disse.

As negociações entre a líder do Congresso, Nancy Pelosi, e o secretário do Tesouro americano Steve Mnuchin, para um novo pacote de apoios, estão em andamento, mas ainda sem um acordo à vista.

 

ALYN // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

"Uma das maiores catástrofes do mundo". Presidente turco anuncia três meses de estado de emergência

O governo turco declarou, esta terça-feira, estado de emergência por três meses nas 10 províncias afetadas pelos fortes sismos de segunda-feira, que já provocaram pelo menos 3.549 mortos e 22.000 feridos no país.

OMS estima que sismo na Turquia e Síria terá afetado até 23 milhões de pessoas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que o sismo que abalou a Turquia e a Síria terá afetado diretamente 23 milhões de pessoas, das quais 1,4 milhões são crianças.

Sismo. Embaixada portuguesa em Ancara cria grupo WhatsApp para emergências

A Embaixada de Portugal em Ancara criou um grupo no WhatsApp para que os cidadãos portugueses no país possam usar em qualquer emergência e pediu aos que se encontram no país que obedeçam às recomendações da proteção civil.