Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

Covid-19: Governo de Cabo Vede aprova quinta-feira abertura aos voos internacionais

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Praia, 06 out 2020 (Lusa) -- O Governo cabo-verdiano vai aprovar na próxima quinta-feira uma resolução para a retoma dos voos internacionais, anunciou o primeiro-ministro, afirmando que as ilhas do Sal e Boa Vista têm condições para abertura ao turismo.

"No Conselho de Ministros da próxima quinta-feira, o Governo vai aprovar uma resolução que procede à reabertura de voos internacionais nos quatro aeroportos internacionais de Cabo Verde", anunciou Ulisses Correia e Silva, sem no entanto avançar uma data para essa reabertura.

O primeiro-ministro falava, na cidade da Praia, durante o ato de tomada de posse do novo presidente do Conselho de Administração do Hospital Agostinho Neto, da assinatura de um protocolo entre o Ministério da Saúde e os laboratórios Inpharma, e anunciou algumas medidas ao país.

Cabo Verde está fechado a voos comerciais internacionais desde 19 de março, devido à pandemia de covid-19, tendo inicialmente anunciado a retoma em 30 de junho, mas com o recrudescer de casos, tanto na Europa como nas ilhas, a retoma foi adiada para a segunda quinzena de agosto, mas não se concretizou.

Desde 01 de agosto que está em vigor um corredor aéreo para voos essenciais entre Lisboa (Portugal) e as ilhas de Santiago e de São Vicente, operados regularmente por duas companhias portuguesas (TAP e SATA) e que obrigam os passageiros, nos dois sentidos, a apresentar testes negativos para a covid-19 realizados com pelo menos 72 horas de antecedência. 

Com a reabertura dos voos comerciais internacionais, Ulisses Correia e Silva disse que haverá um aumento de demanda dos testes, mas garantiu que o protocolo assiado com a Inpharma faz parte das condições que estão a ser criadas para dar resposta em tempo útil.  

"Vamos reforçar a capacidade de realização de testes, reduzir o tempo de resposta aos testes, soluções rápidas de acesso aos resultados a preços mais baixos do que os praticados atualmente", afirmou o chefe do Governo, anunciando que brevemente estará disponível uma plataforma digital para que as pessoas tenham resultado dos seus testes de forma rápida e imediata através do seu telemóvel.

Segundo o primeiro-ministro, as ilhas do Sal e da Boa Vista, as duas mais turísticas do país, já dispõem de centros covid-19 e de serviços de saúde públicos e privados certificados internacionalmente, que as coloca em condições de abertura ao turismo.

"E é importante que, para isso, todos colaboram. As condições institucionais estão criadas, é preciso que os boavistenses e os salenses continuem a fazer um esforço adicional para mantermos muito baixo ou zerarmos os níveis de transmissão nessas duas ilhas e assim podermos brevemente reabrir essas duas ilhas ao turismo", sustentou.

Enquanto o Sal tem neste momento nove casos ativos, de um total acumulado de 687, a Boa Vista, onde foi registado o primeiro caso a 19 de março, regista atualmente 11 doentes ativos, de 79 confirmados.

Grande parte da mensagem do primeiro-ministro foi dirigida à cidade da Praia, o principal foco da doença, com 3.861 casos acumulados e 40 óbitos, considerando ser "fundamental" ganhar o combate e baixar o ritmo de transmissão local.

"Isso depende de coisas simples, de regras, de comportamentos. Não é possível ter um polícia a vigiar cada cidadão. As instituições estão a fazer o máximo que podem, os profissionais de saúde estão a fazer o máximo que podem, o cidadão tem de fazer o máximo que pode", pediu.

Entre esses comportamentos, o chefe do Governo instou as pessoas a usarem máscaras, lavar as mãos regularmente e fazer o distanciamento social. "É fundamental que os nossos comportamentos estejam à altura das exigências", apelou Ulisses Correia e Silva.

O primeiro-ministro apelou igualmente a um "elevado sentido de responsabilidade", chamou a atenção para o comportamento individual de cada cidadão e pediu que se leve a sério o cumprimento das regras e das normas sanitárias e de proteção individual.

"Mais do que nunca este é o momento de grande responsabilidade do cidadão. Não é momento de brincar com o vírus, o vírus mata pessoas e pode matar a economia", alertou.

Cabo Verde tinha até segunda-feira um acumulado de 6.433 casos de covid-19 desde 19 de março, dos quais 68 óbitos e 5.524 doentes recuperados.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e trinta mil mortos e mais de 35,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

 

RIPE // JH

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Militar cercado em Azovstal partilha fotografias do interior dos abrigos. Veja as imagens aqui

Um militar ucraniano do regimento Azov colocou à disposição do público uma seleção de fotografias tiradas no interior da fábrica de aço Azovstal, último reduto da resistência ucraniana na cidade portuária de Mariupol.

Putin ameaça com ataques "relâmpago" em caso de intromissão estrangeira

O Presidente russo, Vladimir Putin, ameaçou hoje que responderá com um ataque "relâmpago" a qualquer ingerência estrangeira na Ucrânia, onde está há dois meses em curso uma guerra desencadeada pela invasão do exército russo.

Pelo menos nove civis mortos por bombardeamentos russos no leste e sul da Ucrânia

Pelo menos nove civis morreram hoje na sequência de bombardeamentos do exército russo no leste e sul da Ucrânia, anunciaram as autoridades locais. De acordo com informações do governador da região de Lugansk (leste da Ucrânia), Sergey Gadai, três civis morreram debaixo de escombros de um prédio atingido por um bombardeamento na cidade de Popasna, para onde tinham fugido a fim de, segundo a mesma fonte, "se proteger de mísseis russos".

Um outro bombardeamento, que atingiu a cidade de Kharkiv (também no leste), a segunda maior da Ucrânia, matou três pessoas e deixou sete feridas, duas delas com gravidade, anunciou o governador regional, Oleg Synegoubov, apelando aos moradores para terem "muito cuidado e, se possível, não saírem dos abrigos".

Outros dois civis foram mortos e seis ficaram feridos na região de Donetsk, segundo o governador, Pavlo Kyrylenko.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Festivais - Soam as guitarras