Covid-19: Mais 4.862 mortos e 309.093 novos casos no mundo nas últimas 24 horas

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Paris, 04 out 2020 (Lusa) - A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.862 mortos nas últimas 24 horas no mundo e 309.093 novos casos, elevando para 1.034.396 as vítimas mortais desde o surgimento da doença em dezembro, segundo o balanço diário da AFP.

Mais de 34.989.300 casos de infeção foram registados desde o início da pandemia, dos quais 24.127.400 milhões já foram considerados curados, noticiou hoje a agência France-Presse, no seu balanço diário.

Os países que registaram o maior número de mortes nos seus últimos balanços são a Índia, com 940 vítimas, os Estados Unidos (689) e o Brasil (599), sendo que os três países tiveram um decréscimo no número das vítimas mortais em relação ao balanço de sábado.

Os Estados Unidos, cujo Presidente, Donald Trump, foi infetado pela covid-19, é o país mais afetado pela pandemia, quer em número de casos quer de mortes, registando 209.399 vítimas mortais, de um total de mais de sete milhões de casos, dos quais quase três milhões foram declaradas curadas.

Após os Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil com 145.987 mortos para 4.906.833 casos, a Índia 101.782 mortos (6.549.373 casos), o México com 78.880 mortos (757.953 casos), e o Reino Unido com 42.317 mortos (480.017 casos).

Entre os países mais duramente atingidos, o Peru assinala o maior número de mortos em relação à sua população, com 99 óbitos por 100.000 habitantes, seguido pela Bélgica (87), Bolívia (69), o Brasil (69) e a Espanha (69).

A China, excluindo os territórios de Hong Kong e Macau, assinalou um total de 85.450 casos (16 novas infeções entre sexta-feira e hoje), incluindo 4.634 mortos (sem novos óbitos), e 80.621 pessoas recuperadas.

De acordo com o balanço da AFP emitido às 12:00 de Lisboa, a América Latina e Caraíbas totalizavam 352.852 mortes por 9.605.206 casos, a Europa 235.054 mortes (5.725.828 casos), os Estados Unidos e o Canadá 218.859 mortes (7.547.664 casos), a Ásia 143.339 mortes (8.512.897 casos), o Médio Oriente 46.975 mortes (2.057.119 casos), a África 36.336 mortes (1.508.609 casos), e a Oceânia 981 mortes (31.979 casos).

O balanço foi realizado a partir de dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e de informações da Organização Mundial de Saúde.

Devido às correções fornecidas pelas autoridades ou às publicações tardias dos dados, o aumento do número de casos em 24 horas pode não corresponder exatamente aos divulgados na véspera.

JGA // ZO

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

França rejeita a construção de gasoduto que liga Península Ibérica ao resto da Europa

França está contra as intenções mostradas pela Alemanha, Espanha, Portugal e a Comissão Europeia sobre a construção de um novo gasoduto com a Península Ibérica e mantém as suas fortes reticências à ideia de reavivar o projeto MidCat pelos Pireneus catalães, que se abandonou em 2019.

Depois da vaga de calor, chuvas torrenciais inundam ruas de Paris 

Após semanas de calor, a chuva caiu com grande intensidade em Paris durante 90 minutos. De acordo com os serviços meteorológicos, em hora e meia registou-se "70% da precipitação habitual para um mês". Várias ruas, avenidas e estações de metro ficaram inundadas e a circulação rodoviária foi interrompida em vários pontos da capital gaulesa. 

Guterres aponta estabilização de preços de alimentos e pede desmilitarização de Zaporijia

O secretário-geral das Nações Unidas (ONU), António Guterres, identificou esta quinta-feira sinais de estabilização dos mercados globais de alimentos e pediu, após uma reunião com os presidentes ucraniano e turco, a desmilitarização da central nuclear de Zaporijia, sob ocupação russa.