Covid-19: Itália soma 2.499 novos casos e mantém tendência crescente de testes realizados

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Roma, 02 out 2020 (Lusa) -- A Itália registou pelo segundo dia consecutivo mais de duas mil novas infeções (2.499) pelo novo coronavírus, anunciaram hoje as autoridades italianas, indicando também que o país mantém a tendência crescente de testes realizados.

Em termos totais, e desde o início da crise da doença covid-19 no país, em 21 de fevereiro, Itália contabiliza 319.908 casos de pessoas que ficaram infetadas pelo novo coronavírus, segundo os dados fornecidos pelo Ministério da Saúde italiano.

As 2.499 novas infeções registadas nas últimas 24 horas estão em linha com os mais de 2.500 novos casos divulgados na quinta-feira, números bastante expressivos que não eram registados no país desde abril.

As autoridades italianas realçaram, no entanto, que este balanço coincide com o aumento do número de testes de diagnóstico realizados em todo o país.

No último dia, Itália realizou 120.301 testes de diagnóstico, valor acima da média diária em comparação a outros dias.

Com a contabilização de 23 novas vítimas mortais associadas à covid-19 nas últimas 24 horas, o número total de mortes registadas no país desde fevereiro sobe para 35.941.

Em termos dos casos positivos que estão atualmente ativos em Itália, as autoridades apontam para 53.997, dos quais a grande maioria são doentes que estão nas respetivas casas com sintomas ligeiros da doença ou estão assintomáticos.

Os doentes internados em todo o país são, neste momento, 3.436 (um aumento de 48 em comparação a quinta-feira), incluindo 249 em unidades de cuidados intensivos.

A Lombardia (norte), a região do país mais afetada pela atual pandemia e que tem sido o epicentro desde o início da crise sanitária, é uma das zonas com mais novos casos nas últimas 24 horas (307 novas infeções).

Na região de Lazio, onde fica a capital do país, Roma, foram diagnosticados 264 novos casos.

Perante o aumento de casos, a região decretou hoje o uso de máscara também em espaços públicos abertos.

Até à data, a máscara de proteção individual só era utilizada em espaços públicos fechados e durante o período da noite na via pública quando as medidas de distanciamento físico não eram possíveis de cumprir.

A subsecretária do Ministério da Saúde, Sandra Zampa, afirmou hoje que o Governo está a avaliar a evolução da pandemia semana a semana e que, caso se verifique um aumento significativo de novas infeções, não exclui a imposição da máscara em todo o país.

A região da capital italiana também anunciou a distribuição de 100.000 doses da vacina da gripe nas farmácias locais, de forma a facilitar o acesso e evitar uma saturação dos hospitais.

A pandemia da doença covid-19 já provocou mais de um milhão de mortos e mais de 34,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

 

SCA // EL

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

França rejeita a construção de gasoduto que liga Península Ibérica ao resto da Europa

França está contra as intenções mostradas pela Alemanha, Espanha, Portugal e a Comissão Europeia sobre a construção de um novo gasoduto com a Península Ibérica e mantém as suas fortes reticências à ideia de reavivar o projeto MidCat pelos Pireneus catalães, que se abandonou em 2019.

Depois da vaga de calor, chuvas torrenciais inundam ruas de Paris 

Após semanas de calor, a chuva caiu com grande intensidade em Paris durante 90 minutos. De acordo com os serviços meteorológicos, em hora e meia registou-se "70% da precipitação habitual para um mês". Várias ruas, avenidas e estações de metro ficaram inundadas e a circulação rodoviária foi interrompida em vários pontos da capital gaulesa. 

Guterres aponta estabilização de preços de alimentos e pede desmilitarização de Zaporijia

O secretário-geral das Nações Unidas (ONU), António Guterres, identificou esta quinta-feira sinais de estabilização dos mercados globais de alimentos e pediu, após uma reunião com os presidentes ucraniano e turco, a desmilitarização da central nuclear de Zaporijia, sob ocupação russa.