Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

Covid-19: Espanha regista mais de 12.000 casos e 114 mortes num dia

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Madrid, 25 set 2020 (Lusa) -- Espanha registou hoje 12.272 novos casos de covid-19, dos quais 23% em Madrid, elevando para 716.481 o número total de infetados até agora, segundo números divulgados pelo Ministério da Saúde espanhol.

Por outro lado, o país contabilizou mais 114 mortes com a doença nas últimas 24 horas, aumentando o total de óbitos para 31.232.

Madrid continua a ser a comunidade autónoma com o maior número de novas infeções, tendo registado mais 2.941 casos do que o número total notificado na quarta-feira.

Deram entrada nos hospitais com a doença nas últimas 24 horas 1.358 pessoas, das quais 490 em Madrid, 205 na Andaluzia, 102 em Castela e Leão e 97 na Catalunha.

Há em todo o país 11.006 pessoas hospitalizadas com a doença e 1.465 pacientes estão em unidades de cuidados intensivos.

O Governo espanhol considera insuficiente o alargamento, decidido hoje pelo executivo regional de Madrid, das medidas restritivas de luta contra a covid-19 na capital, tendo defendido a sua aplicação a toda a cidade.

Em Espanha, as autoridades regionais têm competência exclusiva em matéria de saúde e o Governo central não tem o poder de lhes impor as suas decisões em matéria de saúde.

O Governo regional de Madrid anunciou hoje que alargava a mais 167.381 pessoas (oito zonas sanitárias) as medidas que atualmente já restringem a mobilidade de mais de 850.000 habitantes para impedir a propagação da pandemia de covid-19.

A partir de segunda-feira, as atuais 37 zonas sanitárias na área metropolitana de Madrid passam a ser 45, com mais de um milhão de habitantes, com restrições à mobilidade dos cidadãos: não é permitida a entrada ou saída, exceto para ter acesso a bens essenciais ou ir trabalhar, a lotação nos espaços fechados é reduzida para 50% e os estabelecimentos comerciais e hoteleiros devem fechar às 22:00.

O critério principal para implementar as medidas restritivas da mobilidade tem a ver com a existência de mais de 1.000 novos casos de covid-19 por 100.000 habitantes nas últimas duas semanas.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 984 mil mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 1.931 em Portugal.

Na Europa, o maior número de vítimas mortais regista-se no Reino Unido (41.902 mortos, mais de 416 mil casos), seguindo-se Itália (35.781 mortos, mais de 304 mil casos), França (31.511 mortos, mais de 497 mil casos) e Espanha (31.232 mortos, mais de 716 mil casos).

FPB // ANP

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Putin ameaça com ataques "relâmpago" em caso de intromissão estrangeira

O Presidente russo, Vladimir Putin, ameaçou hoje que responderá com um ataque "relâmpago" a qualquer ingerência estrangeira na Ucrânia, onde está há dois meses em curso uma guerra desencadeada pela invasão do exército russo.

Pelo menos nove civis mortos por bombardeamentos russos no leste e sul da Ucrânia

Pelo menos nove civis morreram hoje na sequência de bombardeamentos do exército russo no leste e sul da Ucrânia, anunciaram as autoridades locais. De acordo com informações do governador da região de Lugansk (leste da Ucrânia), Sergey Gadai, três civis morreram debaixo de escombros de um prédio atingido por um bombardeamento na cidade de Popasna, para onde tinham fugido a fim de, segundo a mesma fonte, "se proteger de mísseis russos".

Um outro bombardeamento, que atingiu a cidade de Kharkiv (também no leste), a segunda maior da Ucrânia, matou três pessoas e deixou sete feridas, duas delas com gravidade, anunciou o governador regional, Oleg Synegoubov, apelando aos moradores para terem "muito cuidado e, se possível, não saírem dos abrigos".

Outros dois civis foram mortos e seis ficaram feridos na região de Donetsk, segundo o governador, Pavlo Kyrylenko.

NATO: Ministra da Defesa acredita que oposição turca a adesão de Suécia e Finlândia será ultrapassada

Bruxelas, 17 mai 2022 (Lusa) -- A ministra da Defesa, Helena Carreiras, disse hoje acreditar que os obstáculos colocados pela Turquia à adesão de Suécia e Finlândia à NATO serão ultrapassados, afirmando que essa é a convicção geral entre todos os Estados-membros.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Festivais - Soam as guitarras