Teste inovador à Covid-19 através da saliva e com resultados rápidos em fase de experiência na CESPU

| Norte
Porto Canal

A CESPU está a desenvolver um teste inovador à Covid-19 que, a ser aprovado, permitirá perceber através da saliva e em cerca de duas ou três horas se há ou não infeção por novo coronavírus. A experiência deste teste inovador encontra-se em fase final de teste, adianta Fernando Ferreira, Presidente da Assembleia Geral da CESPU, esta segunda-feira, ao Porto Canal.

De acordo com Fernando Ferreira, o novo teste "espera confirmação do Instituto Ricardo Jorge e entidades competentes e teóricamente poderá ser comercializado em farmácias, dependendo da opção que for viável".

A CESPU contou esta segunda-feira com a visita de José Luís Carneiro, Secretário-Geral Adjunto, que afirma que este teste inovador "é uma experiência que está a ser desenvolvida por cinco investigadores coordenados pelo médico Fernando Ferreira" e salienta que "o trabalho que está a ser desenvolvido é muito relevante e ao ser validado e certificado permitirá não apenas dar uma resposta mais célere à realização dos testes no nosso país, como eventualmente pode ser transposto para a vida internacional".

Tanto a CESPU como José Luís Carneiro não avançaram datas para a conclusão da aprovação dos testes, mas indicam que esperam que o mesmo possa ser útil ainda nesta fase aguda da pandemia.

+ notícias: Norte

Barroselas e Carvoeiro: ganha o "Sim" na separação das freguesias

O "Sim" ganhou no Referendo para a separação da União de Freguesias de Barroselas e Carvoeiro, em Viana do Castelo. A votação não tem, no entanto, poder vinculativo, porque foram às urnas menos de 50% dos eleitores.

António Sarmento, primeiro vacinado contra a COVID-19 em Portugal, deixa direção do serviço de Infecciologia do Hospital de São João

António Sarmento, o primeiro vacinado contra a COVID-19 em Portugal, numa cerimónia no final de 2020 que marcou o início do maior plano logístico jamais implementado no país, retirou-se da direção de serviço de Infecciologia do Hospital de São João, que liderava há 16 anos.

Para o agora ex-diretor, “ser médico é quase como no amor.” É preciso alimentar o gosto. E foi a paixão pela atividade clínica que o manteve 16 anos na liderança da equipa. “Não deixei isto por cansaço nem por falta de saúde, e a intenção não é reformar-me”, garante.

Embora tenha abandonado oficialmente o cargo no dia 15 de julho, para ser rendido no lugar por Maria de Lurdes Santos, diz querer continuar a passar nos corredores. “É evidente que vou continuar a ser médico. Tenho mais três anos para me manter no hospital.”

Vilarinho da Furna: as memórias de uma aldeia que emerge das águas no verão

Em 1971, com a construção da barragem a antiga aldeia em Terras do Bouro ficou submersa no rio Homem e 250 moradores foram obrigados a abandonar as suas casas. Todos os anos, a 15 de agosto, antigos moradores e familiares reúnem-se e reavivam memórias com uma visita à aldeia, que por esta altura emerge das águas e revela o que resta das casas típicas de granito.