Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

Covid-19: Pandemia matou 961.531 pessoas no mundo

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Paris, 21 set 2020 (Lusa) -- A pandemia do novo coronavírus fez mais de 961.531 mortos no mundo desde que a OMS declarou o surgimento da doença na China, no fim de dezembro, segundo um balanço feito hoje pela AFP, a partir de fontes oficiais.

Mais de 31.110.400 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia, dos quais pelo menos 21.082.500 são hoje considerados curados.

Este número de casos reflete apenas uma parte do número real de contágios. Alguns países testam apenas os casos graves, outros usam os testes como prioridade para a despistagem e muitos países pobres dispõem de capacidade de despistagem limitada.

No domingo, 3.634 mortes e 251.863 novos casos foram registados no mundo.

Os países que registaram mais mortes nos mais recentes balanços são a Índia, com 1.130 óbitos, o Brasil (363) e a Argentina (254).

Os Estados Unidos são o país mais atingido, tanto em número de mortes como de casos, com 199.513 óbitos em 6.812.332 casos registados, segundo a contagem da Universidade Johns Hopkins. Pelo menos 2.590.671 pessoas foram declaradas curadas.

A seguir aos EUA, os países mais atingidos são o Brasil, com 136.895 mortes, em 4.544.629 casos, a Índia, com 87.882 mortos (5.487.580 casos), o México, com 73.493 mortos (697.663 casos), e o Reino Unido, com 41.759 mortos (394.257 casos).

Entre os países mais duramente atingidos, o Peru é aquele que regista mais mortes em proporção da população, com 95 mortes por 100.000 habitantes, seguido pela Bélgica (96), a Bolívia (65), Espanha (65) e o Brasil (64).

A China (sem os territórios de Hong Kong e Macau) comunicou oficialmente um total de 85.291 casos (12 novos entre domingo e hoje), entre 4.634 mortes e 80.484 curados.

A América Latina e as Caraíbas totalizavam hoje de manhã 323.894 mortes, em 8.759.032 casos e a Europa 225.515 mortes (4.865.103 casos).

AH // ZO

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Putin ameaça com ataques "relâmpago" em caso de intromissão estrangeira

O Presidente russo, Vladimir Putin, ameaçou hoje que responderá com um ataque "relâmpago" a qualquer ingerência estrangeira na Ucrânia, onde está há dois meses em curso uma guerra desencadeada pela invasão do exército russo.

Pelo menos nove civis mortos por bombardeamentos russos no leste e sul da Ucrânia

Pelo menos nove civis morreram hoje na sequência de bombardeamentos do exército russo no leste e sul da Ucrânia, anunciaram as autoridades locais. De acordo com informações do governador da região de Lugansk (leste da Ucrânia), Sergey Gadai, três civis morreram debaixo de escombros de um prédio atingido por um bombardeamento na cidade de Popasna, para onde tinham fugido a fim de, segundo a mesma fonte, "se proteger de mísseis russos".

Um outro bombardeamento, que atingiu a cidade de Kharkiv (também no leste), a segunda maior da Ucrânia, matou três pessoas e deixou sete feridas, duas delas com gravidade, anunciou o governador regional, Oleg Synegoubov, apelando aos moradores para terem "muito cuidado e, se possível, não saírem dos abrigos".

Outros dois civis foram mortos e seis ficaram feridos na região de Donetsk, segundo o governador, Pavlo Kyrylenko.

Rússia deixa de fornecer eletricidade à Finlândia a partir de sábado

Helsínquia, 13 mai 2022 (Lusa) -- A Rússia vai suspender as entregas de eletricidade para a Finlândia a partir de sábado, devido a contas não pagas, anunciou hoje o fornecedor RAO Nordic Oy, que detém a empresa russa InterRAO.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.