Info

Covid-19: Estados Unidos com 778 mortos e 41.661 casos nas últimas 24 horas

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Washington, 20 set 2020 (Lusa) - Os Estados Unidos registaram 778 mortes causadas pela covid-19 e 41.661 infetados nas últimas 24 horas, indicou no sábado a Universidade Johns Hopkins.

Desde o início da pandemia, o país contabilizou 199.255 óbitos e 6.764.198 casos de covid-19, de acordo com a contagem independente da universidade norte-americana.

Embora Nova Iorque já não seja o estado com o maior número de infeções, continua a ser aquele que contabiliza mais óbitos (33.081), um número superior ao de países como França ou Espanha.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos e também com mais casos de infeção confirmados.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 953.025 mortos e mais de 30,5 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

EJ // EJ

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Cientistas descobrem anticorpos que podem neutralizar as variantes da Covid-19

Uma equipa internacional de cientistas descobriu anticorpos que podem neutralizar as variantes da Covid-19, incluindo esta última variante Ómicron, um estudo que foi desenvolvido por cientistas da Escola de Medicina da Universidade de Washington, nos EUA

Pfizer aprova o primeiro comprimido contra a doença

A autoridade norte-americana da saúde, a Food and Drug Administration, aprovou esta quinta-feira o uso do comprimido da Pfizer contra covid-19, o primeiro tratamento oral nos EUA para combate à doença

FAO pede ajuda urgente para agricultores e pastores do Corno de África afetados pela seca

Roma, 17 jan 2022 (Lusa) -- Mais de 1,5 milhões de agricultores e pastores afetados pela seca no Corno de África precisam de "assistência urgente" para evitar "uma crise de fome", alertou hoje a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS