Info

Presumível autora do incêndio florestal na Peneda-Gerês detida pela Polícia Judiciária e vai aguardar julgamento em prisão domiciliária

Presumível autora do incêndio florestal na Peneda-Gerês detida pela Polícia Judiciária e vai aguardar julgamento em prisão domiciliária
| Norte
Porto Canal

Uma mulher com 57 anos foi detida pela Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Braga, com a colaboração do Grupo de Trabalho do Norte de Redução das Ignições Florestais e da GNR, na manhã desta terça-feira, por estar indiciada pela prática de um crime de incêndio florestal no Parque Nacional da Peneda-Gerês que teve inícoo no dia 4 de agosto de 2020, apurou o Porto Canal junto das autoridades. A mulher vai aguardar julgamento em prisão domiciliária.

 A arguida, com 57 anos de idade, doméstica, reside na freguesia onde ateou o incêndio, tendo recorrido a um artefacto retardante da ignição. Foram recolhidos substanciais elementos de prova, que conduziram à detenção.

A detida irá ser presente à autoridade judiciária competente, para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.

+ notícias: Norte

Centenas de pessoas sobem Serra d'Arga contra prospeção de lítio na região

Centenas de pessoas subiram a Serra d'Arga, em Viana do Castelo, neste domingo, num protesto contra a exploração de lítio na região. A população apela à "consciencialização" para que não se cometa uma "atrocidade" na paisagem da serra.

"É expectável que o número de infetados (da excursão de Grijó) aumente"

César Rodrigues, Presidente da junta de Freguesia de Grijó, afirma que "é expectável que o número de infetados, do grupo que realizou a excursão religiosa, aumente" devido ao contacto que as pessoas vão tendo umas com as outras.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.