Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

Covid-19: Governo timorense aprova medidas de apoio económico a curto prazo

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Díli, 29 jul 2020 (Lusa) -- O Governo timorense aprovou hoje um pacote de medidas a aplicar a curto prazo de apoio a empresas, famílias e trabalhadores do setor informal para mitigar os impactos da crise económica causada pela pandemia da covid-19.

As medidas, que se inserem no Plano de Recuperação Económica, destinam-se a "apoiar a satisfação das necessidades básicas dos cidadãos, apoiar trabalhadores do setor informal, manter postos de trabalho e rendimentos, e manter empresas no mercado", segundo o Governo, em comunicado.

A primeira medida prevê a atribuição de um "conjunto de bens alimentares e de higiene pessoal essenciais, a ser designado por 'cesta básica' ou, em alternativa, de um vale de compras a conceder a todos os cidadãos ou residentes em Timor-Leste, devendo os bens em causa ser, preferencialmente, de produção nacional ou local".

Já as empresas e outras entidades empregadoras do setor privado "terão um apoio através da criação de um subsídio mensal, de caráter pecuniário, a atribuir, durante cinco meses, às entidades empregadoras que retomem a sua atividade, de forma regular".

Para isso não podem suspender ou reduzir o horário normal de trabalho e devem estar inscritas na segurança social e na administração fiscal.

Podem ainda beneficiar "entidades que, não se encontrando em condições de retomar a atividade de regular, se enquadrem no setor do turismo".

O programa de apoio prevê ainda que as entidades empregadoras fiquem dispensadas do dever de pagamento de contribuições sociais, relativas à parcela a seu cargo, durante um período de seis meses.

Finalmente é criado um apoio aos trabalhadores do setor informal, "através da criação de um subsídio equivalente a 60% do valor da remuneração convencional que constitui a base de incidência contributiva do primeiro escalão da adesão facultativa ao regime contributivo da Segurança Social, durante os meses de outubro, novembro e dezembro".

Para que possam ter acesso a este apoio os beneficiários "poderão registar-se na Segurança Social em agosto e setembro de 2020, na condição de efetuarem o pagamento das respetivas contribuições para a segurança social durante os três meses seguintes, contados após a atribuição da última prestação do subsídio".

Timor-Leste está sem casos ativos de covid-19 desde 15 de maio, completando no final de junho um período de três meses de estado de emergência.

A situação da covid-19, que ocorreu no contexto de uma grave crise política no país -- que está sem Orçamento Geral do Estado (OGE) desde o inicio do ano -- agravou a crise económica do país.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 654 mil mortos e infetou mais de 16,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

 

ASP // JMC

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Putin ameaça com ataques "relâmpago" em caso de intromissão estrangeira

O Presidente russo, Vladimir Putin, ameaçou hoje que responderá com um ataque "relâmpago" a qualquer ingerência estrangeira na Ucrânia, onde está há dois meses em curso uma guerra desencadeada pela invasão do exército russo.

Pelo menos nove civis mortos por bombardeamentos russos no leste e sul da Ucrânia

Pelo menos nove civis morreram hoje na sequência de bombardeamentos do exército russo no leste e sul da Ucrânia, anunciaram as autoridades locais. De acordo com informações do governador da região de Lugansk (leste da Ucrânia), Sergey Gadai, três civis morreram debaixo de escombros de um prédio atingido por um bombardeamento na cidade de Popasna, para onde tinham fugido a fim de, segundo a mesma fonte, "se proteger de mísseis russos".

Um outro bombardeamento, que atingiu a cidade de Kharkiv (também no leste), a segunda maior da Ucrânia, matou três pessoas e deixou sete feridas, duas delas com gravidade, anunciou o governador regional, Oleg Synegoubov, apelando aos moradores para terem "muito cuidado e, se possível, não saírem dos abrigos".

Outros dois civis foram mortos e seis ficaram feridos na região de Donetsk, segundo o governador, Pavlo Kyrylenko.

Governo vai receber combustível da Polónia e apela à Europa para ajudar

A ministra do Desenvolvimento Económico da Ucrânia, Yulia Swyrydenko, anunciou hoje que a Polónia vai fornecer ao seu país 25.000 toneladas de combustível, referindo que o Governo está a lutar para equilibrar o mercado e retomar as exportações. 

"A ajuda da Polónia vai contribuir para estabilizar significativamente a situação no mercado de combustíveis", disse a ministra, citada pela agência de notícias polaca PAP, depois de se ter reunido, em Kiev, com a sua homóloga do país vizinho, Anna Moskva.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Festivais - Soam as guitarras