Covid-19: México com mais de 20 mil mortos

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Cidade do México, 20 jun 2020 (Lusa) - O México registou, na sexta-feira, mais de 20 mil mortes causadas pela covid-19, desde o início da epidemia no país, anunciou o Governo, que contabilizou mais de cinco mil casos num só dia.

Nas últimas 24 horas, 647 pessoas morreram devido à doença causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), o que eleva para 20.394 o número total de óbitos desde o início da epidemia no país, disse, em conferência de imprensa, o diretor de Epidemiologia mexicano, José Luis Alomia.

As autoridades mexicanas diagnosticaram 5.030 novas infeções em 24 horas, colocando o número de casos confirmados no México em 170.485, sublinhou.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 456 mil mortos e infetou mais de 8,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

EJ // EJ

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

EUA reforçam ajuda militar a Kiev com 800 milhões de dólares

Os Estados Unidos (EUA) vão reforçar a ajuda militar à Ucrânia em quase 800 milhões de dólares (797 milhões de euros), disponibilizando pelo menos uma dúzia de 'drones' de vigilância Scan Eagle, segundo autoridades norte-americanas.

Ucrânia: Preço do gás com novo máximo devido a paragem anunciada no Nord Stream

O preço do gás europeu continuou esta sexta-feira a aumentar atingindo um novo recorde no encerramento, depois de ter sido anunciado que o fornecimento de gás através do gasoduto Nord Stream será interrompido durante três dias.

Monkeypox: EMA autoriza nova técnica para administrar vacina

A Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês) aprovou, esta sexta-feira, a administração da vacina Imvanex de forma intradérmica (na pele). Até ao momento, a vacina estava apenas autorizada para injeção subcutânea (debaixo da pele). Como o novo método, será possível imunizar mais pessoas contra a também chamada varíola dos macacos.