Covid-19: Irão consegue desbloquear fundos congelados para combater pandemia

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Teerão, 13 abr 2020 (Lusa) -- O Governo iraniano afirmou hoje dispor no imediato de 1,4 mil milhões de euros congelados num banco do Luxemburgo e que conseguiu desbloquear para combater a pandemia da covid-19.

O porta-voz governamental, Ali Rabiei, indicou que o Executivo fará "todo o possível para transferir esses recursos ou convertê-los em medicamentos e bens que a população necessita na atual situação".

A doença infecciosa já provocou até ao momento 4.585 mortos no país.

De acordo com os números hoje divulgados pelo ministério da Saúde, nas últimas 24 horas foram registados 1.617 novos contágios e 11 mortes, numa confirmação da tendência descendente.

Até hoje, 73.303 pessoas foram infetadas pelo coronavírus no país, com 4.585 mortos e 46.000 recuperados.

Devido à pandemia, o banco central do Irão informou recentemente que estava a tentar recuperar o dinheiro iraniano, bloqueado em bancos estrangeiros devido às pressões dos Estados Unidos, incluindo os 1.460 milhões de euros do Luxemburgo.

O porta-voz governamental explicou que os EUA bloquearam esses fundos para compensar as vítimas dos atentados do 11 de setembro de 2001 perpetrados pelo grupo 'jihadista' Al-Qaida, e com base num processo judicial que envolvia o Irão no ataque.

"O facto de quererem confiscar o dinheiro do Irão com esse pretexto demonstra a política e a natureza arrogantes do Governo dos EUA", denunciou Ali Rabiei em conferência de imprensa transmitida pela televisão.

O porta-voz iraniano também acusou a Casa Branca de pretender impedir que o Fundo Monetário Internacional (FMI) conceda um empréstimo ao Irão de 4,5 mil milhões de euros, que foi solicitado para conter a covid-19.

"Os Estados Unidos não estão legalmente em posição de impedir o funcionamento das organizações internacionais e devem compreender que essas instituições não são sua propriedade", acrescentou.

Ali Rabiei manifestou a esperança de que o FMI atue "de modo independente".

A economia do Irão foi duramente atingida pelas sanções impostas pelos Estados Unidos em 2018, quando o Presidente Donald Trump anunciou a retirada unilateral do país do acordo nuclear multilateral.

Devido à escassez de recursos, as autoridades não impuseram um confinamento generalizado e começaram a levantar algumas restrições, com o reinício de atividades económicas de baixo risco em todo o país, à exceção de Teerão.

A partir de hoje também começaram a ser autorizadas as viagens interurbanas dentro da mesma província, e a partir da próxima segunda-feira serão alargadas às deslocações entre diversas regiões.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 114 mil mortos e infetou mais de 1,8 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Dos casos de infeção, quase 400 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

PCR // FPA

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Passaporte português entre os mais poderosos em 2023. Veja a lista

A Henley & Partners divulgou a lista dos passaportes mais poderosos em 2023. Após analisar informação exclusiva da IATA, a consultora de investimento britânica divulgou o índice anual, de acordo com o número de destinos a que o cidadão de cada país pode aceder sem necessitar da emissão prévio de um visto.

Cimeira UE-Ucrânia. Integração europeia e novo pacote de sanções contra a Rússia

Com a intensificação da ofensiva russa e a exigência por parte de Kyiv de sinais claros de que a União Europeia (UE) quer integrar a Ucrânia, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, deslocaram-se à capital do país que foi invadido há quase um ano para impedir a frustração das aspirações ucranianas e, em simultâneo, resfriar as ambições de Volodymyr Zelensky.

EUA afirmam ter sido detetado segundo balão-espia sobre a América Latina

Os Estados Unidos anunciaram ter sido detetado um segundo balão a sobrevoar a América Latina, indicou o Pentágono, na sexta-feira, sem especificar a localização exata.