Info

Covid-19: Doentes com leucemias e linfomas falham tratamentos por medo de infeção

| Norte
Porto Canal com Lusa

Porto, 13 abr 2020 (Lusa) - Doentes hemato-oncológicos faltam a consultas e tratamentos com medo de serem infetados pelo novo coronavírus, situação que pode pôr em causa a sua recuperação, disse hoje à Lusa a presidente da Associação Portuguesa de Leucemias e Linfomas (APLL).

Isabel Leal Barbosa descreveu um cenário de "desconhecimento por parte das pessoas" da "preparação feita pelos hospitais, designadamente no Instituto Português de Oncologia (IPO) e no Hospital S. João, no Porto" e que está na base da conferência online denominada "Medidas de precaução para doentes com patologias hemato-oncológicas", agendada para terça-feira às 18:00.

Afirmando-se "centrados nas precauções que as pessoas podem ter em casa e nas idas aos hospitais", os promotores da conferência dividiram a temática entre os doentes de sangue "que estão em tratamento ativos, em seguimento e os transplantados".

"O que causa mais aflição agora são os que estão em tratamento ativo, que estão em radioterapia ou quimioterapia, sendo que muitos deles deixaram de ir às consultas e aos tratamentos, porque têm de ir aos hospitais, o que pode pôr em causa o resultado do tratamento", salientou a responsável da APLL, promotora do evento.

Enfatizando ser "admissível fazer-se umas férias da quimioterapia pois não vai prejudicar a eficiência do tratamento", Isabel Leal Barbosa notou, contudo, "que a ausência deve-se ao medo de serem infetados pelo novo coronavírus", precisando ainda tratar-se de "doentes de todo o país".

"Tanto no IPO do Porto como no Hospital S. João existem circuitos para os doentes acederem e onde têm de responder a um inquérito antes de entrar no serviço", frisou a presidente da associação que embora reconheça que o "risco está sempre presente", o "maior problema" reside no facto de "nos doentes haver um desconhecimento de que os hospitais se prepararam, até para defenderem os profissionais que lá trabalham".

Segundo a investigadora, as consultas "podem ser feitas por teleconferência e até mesmo ser adiadas", mas cabe às pessoas avaliar "para quando é que lhes marcam as consultas, não deixando prorrogar os prazos muito para além do admissível".

Com intervalos entre consultas que "variam entre os seis meses e um ano", as pessoas, continuou Isabel Leal Barbosa, "têm de ter um papel mais ativo, pois há doentes que nem sequer sabem os tratamentos que estão a fazer", defendendo que "eles não estão sozinhos e essa ajuda pode ser prestada pelas associações de doentes".

Com doentes hemato-oncológicos "na ordem dos milhares em Portugal", a conferência vai abordar temas como "que precauções ter", "os padrões de tratamento dos doentes durante a pandemia e o minimizar dos riscos de contágio", "os circuitos dedicados nos hospitais para doentes suspeitos de infeção por covid-19 como foi determinado pela Direção-Geral da Saúde" e "os testes para covid-19 realizados a todos os doentes oncológicos antes de cada ciclo de tratamento" são outros dos temas para serem esclarecidos.

"Os nossos associados são doentes hemato-oncológicos , muitos deles imunossuprimidos e familiares, o que obriga a um cuidado redobrado nesta fase de pandemia da covid-19 e, por isso, é essencial oferecermos momentos que, de alguma forma, os apoiem a atingir um patamar de normalidade na sua vida pessoal, profissional e familiar", refere a presidente citada pelo comunicado de anúncio da conferência.

O comunicado anuncia ainda a participação no evento de três médicos (oncologista e hematologistas) e de dois doentes que irão partilhar as suas experiências.

JFO // MSP

Lusa/fim

+ notícias: Norte

Norte Litoral entre os munícpios com mais desemprego e mais atingidos pela pandemia

Os municípios com mais desemprego são os mais afetadas pela pandemia, segundo um estudo da Escola Nacional de Saúde Pública, que mostra que os mais atingidos são sempre os mesmos 20 concelhos, maioritariamente da região norte litoral.

Homem colhido mortalmente por comboio em Famalicão

Um homem foi hoje colhido mortalmente por um comboio em Calendário, Vila Nova de Famalicão, disse fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Braga.

Arrendamento de escritórios cai 17% no Grande Porto em 2020

As áreas arrendadas para escritórios em 2020 diminuíram 29% na Grande Lisboa e 17% no Grande Porto, prevendo a Cushman & Wakefield uma manutenção do abrandamento da procura este ano, com "início de recuperação" no segundo semestre.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

Zoom Zoom Z o o m