Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

Covid-19: Mais de 65 mil mortos em todo o mundo

| Mundo
Porto Canal com Lusa

A pandemia provocada pelo novo coronavírus fez pelo menos 65.272 mortos em todo o mundo desde o surgimento do primeiro caso, em dezembro, na China, segundo um balanço feito pela agência AFP a partir de números oficiais.

O balanço, que contabiliza 5.816 novas mortes em 24 horas, refere-se aos dados disponíveis até às 11:00 TMG de hoje (12:00 em Lisboa).

Os casos de infeção desde o início da pandemia ascendem a 1.206.480 em 190 países e territórios, mais 84.160 que no balanço feito às 11:00 TMG de sábado.

A agência frisa que este número não reflete a totalidade de infeções, na medida em que muitos países apenas testam as pessoas que necessitam de hospitalização.

Entre o total de casos, 233.300 são considerados curados.

Itália, que diagnosticou o primeiro caso no final de fevereiro, é o país com o maior número de mortos, 15.362, num total de 124.632 casos de infeção, dos quais 20.996 estão considerados curados.

Depois de Itália, os países com maior número de mortos são Espanha, com 12.418 casos mortais (130.759 casos), os Estados Unidos, com 8.503 mortos (312.245 casos), França, com 7.560 mortes (89.953 casos) e o Reino Unido, com 4.313 mortes (41.903 casos).

A China continental, ou seja, sem contar com Macau e Hong Kong, onde a pandemia teve início, registou nas últimas 24 horas 30 novos casos e três novas mortes, elevando o total para 81.669 casos de infeção, 3.329 mortes e 76.964 curas.

Em número de casos, os Estados Unidos são o país mais atingido (312.245).

A Europa totalizava às 11:00 TMG de hoje quase 50 mil mortes (47.093) em mais de meio milhão (642.330) de casos, sendo a região do mundo mais afetada.

Seguem-se Estados Unidos e Canadá (8.747 mortes em 326.117 casos), a Ásia (4.172 mortes em 117.571 casos), o Médio Oriente (3.779 mortes em 74.670 casos), a América Latina e Caraíbas (1.052 mortes em 30.539 casos), África (388 mortes em 8.578 casos) e a Oceânia (41 mortes em 6.675 casos).

Portugal regista até hoje, segundo o boletim epidemiológico divulgado hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS), 295 mortes associadas à covid-19 e 11.278 infetados.

A Europa totalizava às 11:00 TMG de hoje quase 50 mil mortes (47.093) em mais de meio milhão (642.330) de casos, sendo a região do mundo mais afetada.

Seguem-se Estados Unidos e Canadá (8.747 mortes em 326.117 casos), a Ásia (4.172 mortes em 117.571 casos), o Médio Oriente (3.779 mortes em 74.670 casos), a América Latina e Caraíbas (1.052 mortes em 30.539 casos), África (388 mortes em 8.578 casos) e a Oceânia (41 mortes em 6.675 casos).

Portugal regista até hoje, segundo o boletim epidemiológico divulgado hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS), 295 mortes associadas à covid-19 e 11.278 infetados.

MDR(MP) // EA

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Militar cercado em Azovstal partilha fotografias do interior dos abrigos. Veja as imagens aqui

Um militar ucraniano do regimento Azov colocou à disposição do público uma seleção de fotografias tiradas no interior da fábrica de aço Azovstal, último reduto da resistência ucraniana na cidade portuária de Mariupol.

Putin ameaça com ataques "relâmpago" em caso de intromissão estrangeira

O Presidente russo, Vladimir Putin, ameaçou hoje que responderá com um ataque "relâmpago" a qualquer ingerência estrangeira na Ucrânia, onde está há dois meses em curso uma guerra desencadeada pela invasão do exército russo.

Pelo menos nove civis mortos por bombardeamentos russos no leste e sul da Ucrânia

Pelo menos nove civis morreram hoje na sequência de bombardeamentos do exército russo no leste e sul da Ucrânia, anunciaram as autoridades locais. De acordo com informações do governador da região de Lugansk (leste da Ucrânia), Sergey Gadai, três civis morreram debaixo de escombros de um prédio atingido por um bombardeamento na cidade de Popasna, para onde tinham fugido a fim de, segundo a mesma fonte, "se proteger de mísseis russos".

Um outro bombardeamento, que atingiu a cidade de Kharkiv (também no leste), a segunda maior da Ucrânia, matou três pessoas e deixou sete feridas, duas delas com gravidade, anunciou o governador regional, Oleg Synegoubov, apelando aos moradores para terem "muito cuidado e, se possível, não saírem dos abrigos".

Outros dois civis foram mortos e seis ficaram feridos na região de Donetsk, segundo o governador, Pavlo Kyrylenko.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Festivais - Soam as guitarras