Info

Covid-19: Lançado portal "Science 4 Covid-19" que reúne iniciativas em curso

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 04 abr 2020 (Lusa) -- A Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e a Agência de Investigação Clínica e Inovação Biomédica (AICIB) lançaram o portal "Science 4 Covid-19", que reúne ideias, publicações, ações em curso e a identificação da capacidade instalada disponível.

O portal, lançado em parceria com o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, autoridades de saúde e instituições de investigação científica, públicas e privadas, reúne também grupos de investigação, disponibilizando meios de trabalho colaborativo 'online' sobre estes elementos, bem como mecanismos de comunicação direta entre os utilizadores com o objetivo de promover a interação e colaboração entre todos.

Em comunicado, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior explica que as ações e publicações submetidas são previamente validadas por uma Comissão de Validação Técnica e Científica constituída pela presidente do Conselho Diretivo da AICIB, Catarina Oliveira, a vogal do Conselho Diretivo da AICIB Patrícia Calado, a vogal do Conselho Diretivo do Instituto Ricardo Jorge Cristina Abreu Santos e pelo vogal do Conselho Diretivo da FCT Nuno Feixa Rodrigues.

O "Science 4 Covid-19" compila recursos disponíveis para utilização em projetos e atividades de Investigação e Desenvolvimento (I&D) que visem o combate ao novo coronavírus (COVID-19) em linha com o Plano Nacional de Preparação e Resposta à Doença da Direção Geral da Saúde (DGS), assim como com as estratégias de outras autoridades europeias e internacionais de saúde.

O portal agrupa iniciativas da comunidade científica portuguesa de ações de caráter social e solidário e de identificação e disponibilização aos profissionais de saúde de material de proteção individual.

Neste portal serão também agrupadas iniciativas na área das engenharias, de adaptação, desenvolvimento e fabrico de diversos modelos de ventiladores, da área clínica e biomédica, como novos protocolos de rastreamento do coronavírus e da comunicação, como a criação de materiais informativos e educativos sobre o Coronavirus para divulgar nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa.

Segundo o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, esta iniciativa pretende dar resposta à situação epidemiológica provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2 e da doença Covid-19, assim como para alavancar novas atividades económicas de base tecnológica em Portugal".

Manuel Heitor reforça que "importa mobilizar investigadores e as suas instituições com a capacidade necessária para concretizar efetivamente os esforços em curso, assim como mobilizar outros institutos científicos e tecnológicos nacionais, empresas e técnicos de saúde para garantir a implementação efetiva das várias ações".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 60 mil.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 266 mortes, mais 20 do que na véspera (+8,1%), e 10.524 casos confirmados de infeção, o que representa um aumento de 638 (+6,5%), em relação a quinta-feira.

GC // MAG

Lusa/Fim

+ notícias: País

Miocardite por infeção é 60 vezes mais frequente do que após vacina contra a Covid-19

A miocardite por infeção com SARS-CoV-2 é 60 vezes mais frequente do que após a vacinação e pode ter sintomas mais graves e complicações e sequelas a curto prazo, refere um parecer técnico hoje divulgado.

Denúncias de cibercrimes duplicaram em 2021

As denúncias de cibercrimes duplicaram no ano passado, chegando às 1.160, mais do dobro do ano anterior, segundo os números divulgados pelo Gabinete de Cibercrime da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS